Maxiverso

Análise: Os Spin-offs de Doctor Who

Conforme artigo anterior que vocês já leram aqui no Maxiverso, o seriado “Doctor Who”, se tornou ao longo de 50 anos um marco e ícone da ficção-científica britânica e o protagonista é sabidamente um dos personagens mais queridos do público de séries em todo o mundo, e após o relançamento da série em 2005, seu grau de popularidade aumentou ainda mais, inclusive no Brasil.

O responsável pelo retorno de Doctor Who à TV, a partir de 2005 foi o produtor inglês Russell T. Davies, ele foi showrunner da série entre 2005 a 2010, e nestes 5 anos, ele também foi responsável por lançar dois spin-offs do seriado com idéias originais e aprovadas pela BBC.

Mas essa não foi a primeira vez que a BBC tentou fazer um spin-off de Doctor Who. Nos anos 80 foi encomendado o piloto de K-9 and Company (1981) um novo seriado mostrando as aventuras da companheira Sarah Jane Smith e seu cão-robô, K-9. Infelizmente a ideia ficou apenas no piloto, mas a premissa foi mais tarde aproveitada em The Sarah Jane Adventures, décadas depois.

Torchwood (2006 – 2011):

Premissa:

Torchwood segue as aventuras de um instituto secreto formato por um pequeno grupo de caçadores de extraterrestres localizado em Cardiff, Reino Unido. O personagem principal é o Capitão Jack Harkness (John Barrowman), um homem imortal do futuro, e seus companheiros são o hacker Owen Harper (Burn Gorman), Toshiko Sato (Naoko Mori) uma cientista forense, Ianto Jones (Gareth David-Lloyd), um “faz tudo” dentro do instituto, e Gwen Cooper (Eve Myles), uma policial que acaba descobrindo os segredos de Torchwood e se juntando a ele.

O sucesso do retorno de Doctor Who fez com que a BBC, expandisse o universo, aproveitando um personagem criado durante a nova fase, o Capitão Jack, e criando o spin-off Torchwood, cujo nome se refere a um instituto que investiga atividades paranormais e alienígenas no Reino Unido. Ou seja, tudo seria uma “versão” Arquivo X, da BBC. A série tem um apelo mais sério e adulto e pode chocar algumas pessoas, inclusive com alguns relacionamentos sexuais não hétero que aparecem na série. O spin-off fez grande sucesso internacionalmente e suas duas primeiras temporadas (2006 a 2008) apresentaram episódios de forma seriada, com um tema específico para cada um dos 13 episódios de cada temporada. A terceira temporada exibida em 2009, foi exibida na forma de uma mini-série com 5 capítulos. A quarta e última temporada, exibida em 2011, foi uma co-produção entre o canal britânico BBC e o canal a cabo americano Sarz, com um total de 10 capítulos, seguindo apenas uma história linear.

Os personagens Capitão Jack (John Barrowman) e Gwen Cooper (Eve Myles), foram os únicos “sobreviventes” de todas as temporadas. Os outros atores saíram da produção, assim que seus personagens morreram . Na quarta temporada, foram incluídos novos personagens americanos e a ação saiu do Reino Unido e foi para os EUA.

Apesar de toda popularidade e sucesso, fazendo frente até ao próprio Doctor Who, a BBC, não quis mais continuar as histórias na TV e até o momento, apesar de muitos boatos, a série está suspensa. Mas isto não impediu que a mesma também se expandisse em quadrinhos, livros e histórias de áudio.

The Sarah Jane Adventures (2007-2011):

Premissa: Sarah Jane Smith (Elisabeth Sladen) é uma repórter investigativa, que junto com seu filho adotado Luke e seus amigos e vizinhos, investiga a presença de alienígenas nas redondezas.

Um novo spin-off de Doctor Who, só que desta vez, mais infantil, foi criado pela BBC. Sarah Jane Adventures, apresentando as aventuras da  ex-companheira do Doutor, a jornalista investigativa Sarah Jane Smith (a companheira mais popular do Doutor), em seu retorno a ação, mais de 20 anos depois de ter aparecido em Doctor Who. A atriz Elisabeth Sladen retornou ao papel que a consagrou anos antes, pois ela fez parte da série Doctor Who entre 1973 e 1976, acompanhando o Jon Pertwee como o Terceiro Doutor e, posteriormente, Tom Baker como o Quarto Doutor.

Antes do lançamento da série, Slander foi convidada primeiro para um dos episódios da nova série do Doutor Who a partir de 2005 (com David Tennant no papel), para testar a audiência. Um piloto de 60 minutos de duração, Invasion of the Bane, foi exibido na TV britânica em 1 de janeiro de 2007. Com o sucesso do mesmo, a BBC autorizou uma temporada com 10 episódios de 25 minutos cada.

Além de Sladen, a primeira série do programa contou com Yasmin Paige como Maria Jackson, a vizinha de treze anos de Sarah Jane (em Ealing, Londres), e Tommy Knight como Luke, um garoto que é adotado por Sarah ao final da história introdutória. O terceiro membro da equipe de Sarah Jane é um garoto de quatorze anos chamado Clyde Langer, interpretado por Daniel Anthony, que aparece pela primeira vez no primeiro episódio da série em si. A atriz Porsha Lawrence Mavour interpretou uma amiga de Maria, Kelsey Harper, apenas no especial de Fim de Ano Invasion of the Bane, que foi criado antes do início da série. Maria e sua família se mudam na primeira história da segunda série, The Last Sontaran, mas ela e seu pai retornam para uma breve aparição em The Mark of the Berserker.

Nicholas Courtney apareceu em Enemy of the Bane como um personagem da série clássica de Doctor Who, Sir Alistair Lethbridge-Stewart.

A primeira temporada consiste em cinco histórias de duas partes e uma segunda temporada, abrangendo seis histórias de duas partes, passou a ser exibida em 29 de setembro de 2008. Uma terceira temporada, novamente com seis histórias de duas partes que fazem um total de doze episódios, desta vez com Russell como produtor executivo, foi exibida entre 15 de outubro e 20 de novembro de 2009.

A quarta temporada iniciou a sua exibição em 11 de outubro de 2010. Um episódio de outro spin-off, Sarah Jane’s Alien Files, foi exibido imediatamente após cada primeiro episódio de uma história. As filmagens de três das seis histórias de duas partes planejados para a quinta temporada foram concluídas antes da morte de Elisabeth Sladen, em 19 de abril de 2011, que pegou a todos de surpresa. A atriz não havia revelado a produção que estava com câncer até adoecer e falecer prematuramente.

E, apesar, de alguns veículos da imprensa britânica, como o The Sun, terem noticiado que a produção da série iria continuar, a BBC afirmou que mais nenhum episódio iria ser filmado. A última temporada começou a ser exibida em 3 de outubro de 2011 e foi encerrada duas semanas depois, em 18 de outubro.

The Sarah Jane Adventures foi indicado para diversos prêmios, que incluem um BAFTA infantil na categoria drama, em 2008, e um BAFTA Cymru em 2009, na categoria drama infantil. O programa ganhou um prêmio Royal Television Society pela melhor série de drama infantil, em 2010.

Durante as temporadas, o Doutor fez participação especial em dois episódios, um com o ator David Tennant e outro com o ator Matt Smith.

Class (2017):

Premissa: Acompanha as aventuras dos pupilos adolescentes April (Sophie Hopkins), Ram (Fady Elsayed), Tanya (Vivian Oparah) e Charlie (Greg Austin), bem como de sua professora, Sra. Quill (Katherine Kelly). Eles fazem parte do colégio Coal Hill Schooll, lugar já conhecido dos fãs de Doctor Who, onde o Doutor recrutou seus primeiros dois companheiros de viagem no primeiro episódio da série em 1963 e onde mais tarde, a companheira Clara Oswald dava aulas antes de se juntar ao 11º e depois 12º Doutor.

Em um ritmo mais juvenil e adolescente, a série é descrita como uma mistura de horror e humor e em um ambiente escolar, pra tentar conquistar os fãs do spin-off anterior, Sarah Jane Adventures. Seu criador foi o showrunner Patrick Ness, que tentou fazer uma pegada mais “Buffy – A Caça Vampiros”.

A primeira temporada contou com 8 episódios de 45 minutos cada. No episódio piloto, temos a participação especial de Peter Capaldi como Doutor. Ele não fez mais participações. A produção chegou a cogitar novas participações do Doutor na segunda temporada.

Infelizmente a série não conseguiu ter uma boa audiência e a BBC em setembro de 2017, anunciou que ela seria cancelada e não teríamos mais temporadas. Em nota, o controlador da BBC Three, Damian Kavanagh, anunciou:

“Não tinha nada de errado com ela – acho que Patrick [Ness] fez um ótimo trabalho, ele explorou um mundo incrível. Honestamente, não deslanchou para nós na BBC Three. As coisas às vezes não vão e tenho que tomar decisões sobre o que faremos do ponto de vista dramático. Há sempre momentos em que você faz algo e precisa decidir que isso não voltará mais. Class é uma dessas coisas.”

O criador e roteirista da série, Patrick Ness, usou o Twitter para se posicionar. Confira:

“Não sou um homem sem opinião, mas tudo o que direi sobre a notícia de Class é o quão orgulhoso estou da série e como sou sortudo de ter tido essa oportunidade.”


[RM-RS  – BBC – Deadline – Doctor Who Board)


 

Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarRicardo-150x150 Análise: Os Spin-offs de Doctor Who

Ricardo Melo

Profissional de TI com mais de 10 anos de vivência em informática. Tem como hobby assistir seriados de TV, ir ao cinema e namorar!!! Fã de rock'n'roll, música eletrônica setentista, ficção-científica e estudos relacionados a astronáutica. Quis ser astronauta, mas moro no Brasil... Os anos 80 foram meu playground!

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top