Resenha: Zumbi vs Robôs – A série esnobada pelo Eisner

Ganância, soberba e sede por poder fizeram os humanos quererem tudo, isso não é de hoje. É justamente deste ponto que Zumbis vs Robôs parte. A história escrita por Chris Ryall e desenhada por Ashley Wood conta como o planeta chegou nas condições onde a existência humana estaria completamente ameaçada, a ponto de precisar de robôs lutarem pela nossa sobrevivência.

Três cientistas fizeram uma máquina capaz de viagens transdimensionais, o que poderia trazer muitos benefícios à humanidade, e aos bolsos de algumas corporações também. Um erro poderia causar o corte de verba do governo para a pesquisa. Mas enfim, o fato é que o portal dá errado e os três cientistas acabam morrendo, restando apenas robôs com Inteligência Artificial, criados por um deles, e a missão de cuidar do último bebê humano para uma posterior clonagem.

Anúncios

E nessa parte é onde entram os zumbis, infectados por um tipo de vírus que não é capaz de matar um ser humano, mas também não os deixa vivos. Os robôs precisam cuidar da criança até ela ter uma idade onde seja possível a clonagem e assim repovoar o mundo com humanos. Mas as coias não correm como planejado. E os robôs são obrigados a tomar uma atitude drástica.ZvsR2-300x300 Resenha: Zumbi vs Robôs - A série esnobada pelo Eisner

Em uma determinada altura da história surgem amazonas, e a partir daí os robôs passam a contar com a ajuda delas contra os zumbis e ainda assim não é tarefa fácil.

A narrativa conta com um senso de humor peculiar, principalmente os robôs, dando leveza à história, que é bastante violenta, por conta das mortes (que não podem faltar numa história de zumbis). Chris Ryall conduz muito bem o roteiro, tornando a leitura fácil. Além de tudo, é um quadrinho bem visual, com a arte peculiar de Ashley Wood, sendo a maior parte em óleo sobre tela, inclusive, a capa tem uma textura diferente e convidativa.

O quadrinho é distribuído pela Mythos e traz na contra capa a seguinte chamada “A Série esnobada pelo Prêmio Eisner”; eu sinceramente não vi história pra tanto, apesar de não ser nenhum crítico de quadrinhos para saber os quesitos necessários para um indicação, que pelo jeito não veio.

O roteiro é de uma ótima qualidade, a arte também, fora dos padrões dos quadrinhos de maior alcance mundial, mas daí ao Prêmio Eisner não sei dizer se é para tanto, mas vale a leitura, e pelo final parece que tem uma segunda parte “encaminhada”. Aconselho a leitura e tirem suas conclusões… merecia um Eisner ou não?

PS: Em 2011 e 2016 notícias deram conta de que a produtora de Michael Bay iria adaptar essa HQ para os cinemas, mas por motivos ainda desconhecidos o projeto não foi adiante.

printfriendly-pdf-email-button-notext Resenha: Zumbi vs Robôs - A série esnobada pelo Eisner
The following two tabs change content below.
AvatarJean Resenha: Zumbi vs Robôs - A série esnobada pelo Eisner

Jean Bonjorno

Formado em jornalismo, leitor de quadrinhos, costumava escrever alguns poemas quando adolescente. São Paulino, antes de entrar pro mundo dos quadrinhos, colecionava camisas de futebol (hoje não é possível manter as duas coleções =/). Baixista e roqueiro, por que tudo na vida tem que ter uma trilha sonora... e que seja uma boa trilha sonora!

5 thoughts on “Resenha: Zumbi vs Robôs – A série esnobada pelo Eisner

    1. Muito bom receber comentários assim, anima ainda mais a escrever, muito obrigado pelo feedback. Espero manter sempre o nível. hehe
      E continue nos acompanhando!
      Obrigado!

  1. qd vi a manchete pensei ah nao outro quadrinho de zumbi nao aguento mais, depois lendo a sinopse vi que finalmente temos aqui uma inovação, fugiu do cliche do genero legal heim acho que vou conferir

    1. Legal!!! Também tive essa má impressão… E comprei depois de umas quatro idas na banca haha mas gostei da leitura. Espero que goste de leitura, dá um toque caso leia. E obrigado pelo comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *