Star Wars é ficção científica sim

Desde que a trilogia prequel de Star Wars foi lançada, o debate sobre o gênero nas quais os filmes da saga se enquadrariam ganhou força e popularizou-se, seguindo a tendência de dicotomia que parece acometer a tudo que existe na sociedade atualmente (ou você gosta de A ou B, ou defende ferrenhamente A ou B, e o pior, se A é bom, B não é, etc.).

O caso é mais ou menos o seguinte: para os fãs de sci-fi hardcore (ou seja, os admiradores da ficção mais fiel à ciência), Star Wars não pode ser considerado ficção científica, mas ‘apenas’ uma fantasia.

Anúncios

StarWarsSciFi1 Star Wars é ficção científica sim
Gary Kurtz, produtor original de SW, se refere à saga como “ficção científica”

Entendo os preceitos que fazer muitos pensarem assim, pois existem argumentos sacramentados nesse debate, que poderiam justificar essa linha de raciocínio (porém estão equivocados, conforme demonstrarei).

Mas também é o caso de várias pessoas pensarem assim apenas por conta dessa polaridade que assola o comportamento humano nos tempos atuais, em que ao se gostar de uma saga comumente aceita como sci-fi, por exemplo, é necessário “defendê-la com unhas e dentes em detrimento daquela outra”, e, para isso, não se aceita que a tal outra seja incluída na mesma categoria, ficando sub-entendido então que ela é, digamos, ‘inferior’.

Mas, enfim, vamos tentar elucidar o presente caso com base em fatos e conceitos fundamentados, e não em opiniões meramente subjetivas. Nos links abaixo estão as quatro partes na qual este artigo foi dividido, para facilitar a leitura e compreensão, já que se trata de um tema espinhoso e muito longo:

Parte I – Definindo o “que é ficção científica”

Parte II – Analisando a saga de forma criteriosa

Parte III – Desmistificando argumentos contrários

Parte IV – Conclusão

O ideal é que o artigo seja lido na íntegra, pois todas as partes são importantes para a compreensão da idéia aqui apresentada, e contém argumentos, fontes e exemplos que fundamentam a conclusão final. Pra começar, um tease: vendo a cena abaixo, você diria que o filme a qual ela pertence, é de ficção científica ou fantasia? 😉

StarWarsImperadorEstrelaMorte Star Wars é ficção científica sim

printfriendly-pdf-email-button-notext Star Wars é ficção científica sim
The following two tabs change content below.
AvatarRalph-150x150 Star Wars é ficção científica sim

Ralph Luiz Solera

Escritor e quadrinhista, pai de uma linda padawan, aprecia tanto Marvel quanto DC, tanto Star Wars quanto Star Trek, tanto o Coyote quanto o Papaléguas. Tem fé na escrita, pois a considera a maior invenção do Homem... depois do hot roll e do Van Halen, claro.

118 thoughts on “Star Wars é ficção científica sim

  1. Ate hj nao entendo pq isso gera polemica: se é space opera, é ficção cientifica. Ponto. Ademais, a realidade é a seguinte: se o cara é chato e quer criar caso, pode se matar de argumentar que ele vai continuar se pegando em 1 ou 2 pontos pra dizer que NAO é FC… infelizmente o mundo hj em dia é assim, a razão é o objetivo, e não a verdade. O cabra quer ter razão, nao quer saber se ele está certo ou errado.

  2. Acredito que o primeiro erro nessa tese é se basear que “Star Wars” é futurista. Sim ele se passa no espaço, sim ele possuem personagens que APARENTAM ser humanos(embora nenhuma relação ou menção com a terra exista). Star Wars é uma historia no mundo(ou no caso galáxia) deles. Assim como outras fantasias mesmo que hajam humanos sejam historias daquele mundo. Para refutar isso, muitos dirão sobre o início do filme “muito tempo atrás numa galáxia muito distante”. Portanto devo lembrar a todos que isso nada a mais nada a menos é um artifício de roteiro. O mesmo que Tolkien utilizou em o Senhor Dos Anéis, para quem não sabe, no livro, ele enquanto narrador(não escritor), se apresenta como se fosse um tipo de arqueólogo, ou historiador, que está traduzindo o livro vermelho(o livro de Bilbo e Fordo). Por tanto o narrador nada mais é do que um personagem contando uma historia do passado de seu universo, assim como Star Wars. É inegável que ele possua elemento FC. Sim ele possui, assim como diversos gêneros possuem elementos de outros, uma drama com elementos cômicos, uma aventura possua elementos românticos, um terror possua elementos de suspense. Na realidade varias fantasias possuem elementos menos escrachados, como por exemplo, aqueles personagens em fantasias medievais ou vitorianas(claramente inspirados em Arquimedes ou Da’Vinci) constroem com aquela tecnologia arcaica construtos, autômatos e robô que até hoje são impossíveis para a ciência moderna. Mesmo se ambientando em um período temporal arcaico esses elementos podem ser implementados. A regra implícita da ficção cientifica, que é comum a todas as obras é a relação com o terráqueo, seja o ser humano explorando o universo, seja a Terra dizimada, destruída, ou até mesmo a completa ausência da humanidade com uma forma de vida alienígena explorando o nosso planeta já alterado pela nossa ausência. Seja no presente, passado ou futuro, a FC precisa ser em um momento possível ou alternativo da nossa realidade, e isso Star Wars não faz, mesmo com toda a tecnologia daquele universo.

    1. Porém devo dizer que seu artigo por si só é muito bom, por mais que eu discorde, sua argumentação é muito boa

    2. Oi Ariel, bacana seu comentário. Eu já disse antes, esse é o tipo de assunto que me atrai mais pelo debate do que pela conclusão em sí. Mas vamos lá, vou discordar de vc rs… veja só, vc cometeu o mesmo erro que a maioria comete qd parte de um ponto específico: vc estabeleceu um critério que seria o filtro do que é ou não FC. E esse critério não existe. Pelo menos não em termos que se possa dizer que é consenso ou convenção do gênero. Isso já derruba essa tese, por si só. Não existe uma definição absoluta e expressa do que uma obra precisa ou não para ser classificada como FC. Não existe uma regra que diga “uma obra precisa ter isso para ser FC”. Ou pelo menos não uma que seja aceita por todos que produzem e consomem FC. Existem, isso sim, muitos e vários conceitos – muitos independentes entre si – que abarcam características (mas não todas e não de forma excludente) que “podem” permitir que uma obra se enquadre como FC. Isso pq a FC tem muitas e muitas vertentes diferentes, as subcategorias de ficção científica, algumas mais fantasiosas, outras menos, e por aí vai. Então qd vc diz que “pra ser FC uma obra tem que…” ou “a regra implícita da FC é…” e informa um critério qualquer, isso é um equívoco, pq esse critério ou é seu, ou de algum grupo de pessoas que decidiram usá-lo, mas esse critério não é universal e não exclui os outros critérios comumente e mundialmente aceitos para enquadrar uma obra como FC. Com relação à questão temporal, de fato, SW se passa em outra galáxia, porém a conceituação de “futuro” se deve à alusão da tecnologia mostrada ali ser superior à nossa (real) tecnologia (o que é “uma das” características sci-fi mais comuns), e não à questão cronológica pura de datas/tempo, até pq como vc mesmo diz, Lucas já avisa que aquilo se passa “muito tempo atrás”, ainda que seja do ponto de vista do narrador, o que pode muito bem significar ainda assim um futuro temporal em relação à nós, hoje, caso se considere que se tratam de humanos. Lembrando que SW define raças de sua saga como “humanos” sim, como os corellianos por exemplo. Logo, nada impede que se faça a relação com os humanos terráqueos, mas, novamente, isso não interfere no assunto que estamos debatendo. Por fim, discordo tb qd vc diz que a obra “possui elementos FC”… ela possui toda uma ambientação e narrativa sci-fi, completíssima, como uma das partes desse artigo demonstra. Não são um ou dois elementos de FC… não são alguns. São muitos. Não são possíveis de serem relevados. Essa ginástica mental que releva os elementos sci-fi preponderantes na saga em detrimento de um ou dois elementos fantasiosos não resiste quando se deixa a “vontade de querer assim classificar SW” e se passa a analisar apenas os fatos. Bom, diante disso tudo ainda cabe aquela famosa consideração de que se o Lucas classificou a obra como space opera, isso já deveria servir para encerrar o assunto rs… mas o assunto continua! rsrs abraço!

    3. Então, acho que chegaremos ao impasse aqui que não será resolvido. Quando eu digo regra implícita, não coloco como algo pessoal. É um método básico de amostragem, nada mais. Todos os gêneros possuem regras implícitas, pelo simples motivo de ser comum a todas as obras. Quanto ao ponto temporal, não se pode partir do pressuposto de que é uma tecnologia futura, muito menos superior a nossa. É simplesmente a tecnologia daquele universo. Poderia muito bem em diversos pontos demonstrar tecnologias inferiores, embora como eu disse anteriormente isso não se encaixa para discussão por ser somente a tecnologia desse universo. Quanto ao termo “humano” isso é mais uma questão literária. LOTR, Avatar, e diversos outros universos que não se passam no que conhecemos pelo nosso planeta se utilizam de humanos, é uma questão identitária. Nos consumimos, nos comovemos e nos envolvemos mais com histórias sobre nos mesmos. Quanto a narrativa ser Sci-Fi eu devo discordar em gênero, numero e grau. A tecnologia não é o foco, e quando eu digo tecnologia não trato apenas do objeto, mas das expansões territoriais, descobrimento de uma nova raça, não, a narrativa junta a boa e velha jornada do herói, os o conflito claro de um bem oprimido e um mal inquestionável. Toda a trama de grande parte do filme é a mística da força, e sua dualidade. Star Wars não se direciona ao cientifico, muito menos se aprofunda nele, seu foco é no conflito galáctico, a mística da força e a jornada do herói. Por mais que a tecnologia exista ali, o enredo não se apoia nisso, a tecnologia daquele universo é assim e ponto. Enfim, space opera é um gênero que o George obviamente quisesse que fosse, porém da maneira que foi escrito, a historia se tornou uma fantasia e não uma novela.

    4. Ariel, qd digo que vc está estabelecendo uma regra própria para classificar SW como sci-fi é pq o sci-fi como gênero abriga muitas subclassificações, e vc está abarcando apenas algumas delas. O mesmo vale para outras questões que vc citou, inclusive a relativa à Força. Existem subdivisões sci-fi que não se adequam ao que vc chamou de “regra implícita”, e nem por isso deixam de ser sci-fi. O cerne da questão é justamente esse: vc escolheu exigências de algumas subclassificações e generalizou para todo o sci-fi. Tb considero que há sim o aspecto pessoal do seu argumento, pois, por exemplo, eu discordo veementemente de que a tecnologia e o “científico” não sejam foco em SW, já vc pensa diferente, um terceiro vai pensar de outro modo, e por aí vai. Cada um verá esse aspecto sob seu prisma. É por isso que nesse estudo reuni diferentes definições de FC e mostrei como SW ao contrário do que se prega, tem sim os aspectos tecnológicos em evidência na obra, ainda que não como protagonista (o que é caracteristica do space opera). Falando nisso, qd vc diz que o foco da narrativa é o conflito galático, está corretíssimo, e isso é uma característica das space opera tb, que se caracterizam ainda por elementos fantasiosos em suas tramas. Viu só como tudo se amarra qd vc considera a space opera em toda sua totalidade? O legal desses conceitos reunidos no artigo é que eles limitam justamente a pessoalidade da análise: não importa o que eu ou vc pensemos a respeito, os fatos são aqueles (como as definições do que é FC e os pontos científicos presentes na saga) e não tem como negarmos eles. Ainda assim, claro, é um debate que realmente dificilmente será finalizado com o lado do “SW é fantasia” admitindo o contrário. Lembrando que eu já pensei como vc e só mudei de ideia e fiz esse artigo depois de estudar a fundo a questão e perceber que eu estava errado rs… Mas de tudo isso que debatemos só tem uma coisa que não vejo como discutir, que é o fato de que a tecnologia ali mostrada seja futurista em relação à nossa, afinal, não temos ainda na vida real hoje capacidade de criar naves ou estações ou armas como as mostradas no filme, mesmo que alguns pontos dessa tecnologia nos pareçam hj até atrasadas (os monitores monocromaticos de baixa definição dos paineis de controle, por exemplo). Mas no geral, é um aspecto bastante proeminente que tudo ali se mostra mais avançado que o estágio tecnológico que a humanidade se encontra de verdade. Abraço!

    1. É duro rsrsrs… mas é aquela coisa: as opiniões pessoais não são capazes de modificar a adequada classificação das obras. Ademais, Hammil nunca gostou muito de SW (depois da trilogia clássica, chegou a tirar SW do seu currículo por muito tempo e se negou a participar de muitos programas para falar da saga, tentou voltar ao teatro, etc…) e, consequentemente, não é alguém que estudou muito o assunto, ou mesmo se atentou ao fato de que space opera é um subgênero que tem essas peculiaridades que a afastam da ficção científica mais pura. Aliás, é importante saber que, via de regra, os americanos que não se aprofundam no tema costumam classificar as obras que pra nós são todas “apenas” sci-fi como “science fiction”, e os subgêneros pelos seus nomes, como se fossem coisas distintas, pq pra eles a nomenclatura “science fiction” se refere quase sempre ao hard science fiction, coisa que o space opera está longe de ser. O próprio Lucas diz que SW “não é (hard) science fiction mas sim space opera” o que não faz muito sentido pra nós pq space opera é um subgênero da ficção científica, mas pra eles faz sentido pq eles se referem a esses gêneros de forma um pouco diferente.

  3. única explicação pra alguém dizer que SW não é FC é a seguinte: birrinha
    nada justifica!
    se um filme com tantos elementos scifi nao for FC, nada mais é
    o artigo, no todo, demonstra isso de forma cabal e inapelável, mas ainda assim tem gente que ignora todo o contexto, as explicações, etc, e bate na tecla: “ain, mas tem a Força, a princesa, bla bla bla”
    sem tempo, amigo

    1. já vi comentários até pertinentes em contrário, mas sempre pendem pra opinião pessoal… o “pra mim, Star Wars não é FC” ou “eu acho que…”, o que normalmente significa que os fatos foram deixados de lado, ou relevados, na análise… no frigir dos ovos, como alguns disseram aqui, SW é space opera, um subgenero Sci-fi, e isso deveria ser o suficiente pra encerrar a discussão rs

  4. não é FC nao… as navinhas, os lasers, os robôs, os planetas visitados, a tecnologia futurista, os saltos no hiperespaço, as armas de destruição em massa… ignora tudo isso e foca na Força mística que é o que vale: fantasia pura! k k k k k k k k k k k k k k k k k k k esses haters matam a gente de vergonha

  5. Terceira lei de Arthur C. Clarke: “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia”. Essa frase nos leva a pensar além das caixinhas… além das definições.

  6. Ficcao cientifica nada! Nem tem naves, robôs, mechs, aliens, viagens interestelares, lasers, ciborgues, outros mundos, tecnologia futurista, hiperespaço, raio trator, canhões de plasma, luas artificiais, arma de destruição em massa, exércitos de andróides, etc. E tem uma força mística que dá poderes ao seu usuário (telecinese, telepatia, etc.). Fantasia pura, claro. “Ficcao científica”, fala sério.

    1. é simples: se o cara gosta de SW, ele aceita a tese… se é hater, pronto, ignora tudo o que é argumentado e mantem sua posição: eu “acho” que não é ficcao cientifica nada, bla bla bla

  7. que coisa linda ver um artigo tão bem escrito (a ponto de me fazer mudar de ideia sobre o assunto), e cujo autor ainda responde os “ataques” de haters de maneira puramente técnica (mas contundente)… parabens Ralph Solera!!!

  8. sinceramente… não sei pra que gastar tanto esforço em um texto dessa magnitude… se Star Wars é space opera, então é ficção científica, gostem ou não, concordem ou não, e ponto final. Deixa estrebuchar de raivinha os que “acham” o contrário.

  9. Perfeito. Na análise, nas respostas dos comentários. Na argumentação, não tem como chegar a outra conclusão. Respondeu tudo o que o tal Pedroom alegou, facilmente. Tudo bem que ele viajou em coisas como “Star Wars é igual Harry Potter”, “não existe subgenero de FC”, e “tudo que não existe na vida real é fantasia”. Imagina o tal livro dele hahaha… enfim, parabens pelo texto. Excelente.

  10. Meus parabéns pelo artigo. Li todas as partes, e todos os comentários tb. Não vejo mais como realmente entender diferente essa questão. Um filme com tantas coisas científicas como vc listou, um filme que foi criado pelo Lucas e considerado space opera, que é um subgenero da FC, um filme que é similar a obras clássicas como Buck Rogers. Não tem mesmo como dizer que é fantasia. A não ser que vc por algum motivo não queira de jeito nenhum admitir isso rsrsrs aí vc vai achar maneiras inacreditáveis de ficar sustentando que Star Wars é fantasia. Coisas como “Star Wars é igual Harry Potter”. Parabéns pela lucidez com que tratou o tema.

  11. Vim aqui ler o artigo e ainda nao consegui passar da 1a parte por causa dos comentários. Mas só pelos comentários já deu pra ter uma boa ideia da pauta e do que pensam os leitores contrários. Resumindo: o artigo se fundamenta em fontes históricas, conceitos basilares da literatura e do cinema, opiniões de autores renomados em obras mundialmente consagradas sobre o tema, fora a argumentação técnica e as respostas a todos os questionamentos que cercam o mesmo tema. Em suma, os que discordam trazem valores pessoais para o assunto: “Eu acho que não é”, “Pra mim não existem subgeneros de ficção-científica”, “Pra mim SW é fantasia”, “Na minha opinião SW é igual Herry Potter”, “Se não passar na Análise do Discurso não é ficção científica”, “Star Trek é FC e Star Wars não”, e por ai segue. Ignoram o básico: o autor de SW se baseou em space operas e assim considera sua obra. E space opera é ficção científica. Isso deveria bastar, mas em um mundo de “donos da verdade” que querem impor sua visão sem embasamento (fundamentada apenas em sua vontade a respeito de algo), é preciso debater algo tão notório quanto o fato de um filme com coisas como naves espaciais, robôs, lasers, armas tecnológicas de destruição em massa, clonagem, veículos que voam e flutuam, saltos no hiperespaço, escudos defletores, armas de blaster, distopias ditatoriais intergaláticas, ciborgues, exércitos de andróides, estações espaciais e dezenas de outros elementos científicos não sejam o suficiente para que se considere um filme como ficção científica porque o mesmo tem um elemento fantasioso chamado “Força” (que se considerado telepatia e telecinese, também são elementos de ficção científica). Chega a ser deveras inacreditável.

    1. Concordo. “Um filme com naves espaciais, robôs, lasers, armas tecnológicas de destruição em massa, clonagem, veículos que voam e flutuam, saltos no hiperespaço, escudos defletores, armas de blaster, distopias ditatoriais intergaláticas, ciborgues, exércitos de andróides, estações espaciais e dezenas de outros elementos científicos” não tem como não ser sci-fi, dentre outros motivos.

  12. Ralf aprende, vc pode dar milhoes de respostas pro Pedroom e ele nunca vai aceitar. Tudo que ele comentou vc respondeu de forma inequivoca e ainda assim o cara insiste, vai por outra via, repete argumento já tido como equivocado, etc. Ele NAO vai aceitar. Ponto. Sabe pq? Pq ele é assim, dono da verdade. Ele criou uma celeuma absurda no Clube de Leitores de Ficcao Cientifica e foi banido. Ele usa um perifl fake na Internet chamado Noll Quantikus que faz pra conversar com ele mesmo, tipo, o Pedroom fala uma coisa num debate, ai varios discordam dele, ai vem o Noll e “apóia” o Pedroom, é bizarro. Esquece o cara, ele só quer te levar a uma explosão, quer confusão. Não percebe que ele encarna uns argumentoas que nem adolescente aceitaria?: “ah, mas se não encaixa na Análise dos Discrusos, não é FC”, “Pra mim não existe subgenero de FC, isso foi inventado por editor”, “Harry Potter é igual SW e é fantasia” e por ai vai. Serio, com argumentos assim, não tem como debater com o cara, é o famoso lance de pérolas aos porcos. Qd vc aperta o cara, qual a reação dele? “Quem discorda é fanático e ataca quem pensa diferente”. Resumindo: ele passa pra ofensiva e desacredita quem discorda dele, tachando de fanático. Meu conselho: bane o cara do site e para de dar corda pra ele.

  13. A leitura dessa matéria e seus respectivos links me deu uma convicção oposta a do pessoal que não aceita o fato de Star Wars ser fantasia e se recusa a aceitar isso quando comparam esse filme com Star Trek. Fico com a convicção de que Star Trek é mais fantasioso do que afirmam os fãs. Só que, Star Trek é oriundo da literatura e, na literatura, Star Trek é pura FC, já a adaptação imagética se torna fantasiosa. Star Wars é o oposto, nasce no momento em que George Lucas estava no cinema assistindo Flash Gordon, ou seja, foi concebido para ser fantasia. Depois vieram novos produtos, especialmente os videogames e a fanfict, cujo apelo também abraça a FC.

    1. Pedro, entendo suas convicções a respeito, mas continuo discordando. Como exemplo disso, cito que Flash Gordon é um dos maiores expoentes do space opera, um subgênero sci-fi. Um subgênero que aceita fantasia e que não trata a ficção científica de forma hardcore. Mas sobretudo um subgênero sci-fi.

    2. Vc realmente não entende, Pedroom. E não vai entender. E sabemos o porque.

    3. O Lucas tá errado. O Gary Kurtz tb. O Asimov tb. O Frank Herbert tb. O Ralph Solera tb. O Hugo (da revista Amazing Stories e do prêmio que leva seu nome) tb. Todos os editores, escritores, cineastas, estudiosos do tema que entendem que space opera é FC tb. O nome space opera (ópera ESPACIAL) tb está errado. Todos os sites de cinema que classificam SW como FC estão errados. O Pedroom Lanne, banido do CLFC e processado por alguns de seus integrantes, está certo. “Ta sertu”.

  14. Celeuma inútil. É space opera (isso ninguém discorda). Space opera é ficção científica (que não exige tanta fidelidade a ciência e permite doses de fantasia). Se é space opera, é ficção científica. Assunto encerrado. O que foge daí é uma gama de argumentos que extrapolam conceitos de forma forçada – alguns na raia do absurdo – para que alguém não classifique como ficção científica, porque por motivos pessoais não quer que SW seja ficção científica (ainda vou entender o pq dessa bobagem, algum dia).

  15. Diante de tantas explicações, exemplos, argumentos, respostas a comentários, etc, não é possível que alguém ainda defenda que SW seja fantasia e não seja scifi, sério. Tudo que possa ser afirmado em contrário a isso foi respondido com provas aqui nesse artigo e nos comentários do autor. Não dá, galera… sério. Para que ta feio. É ficção científica sim. Ponto.

    1. A estética do filme é a mesma do Harry Potter, se isso não é fantasia, eu não sei mais o que é fantasia. Eu fui ver o último episódio no cinema e o público maior eram crianças de 11 anos. FC não é feito pra criança…
      Não ser FC não diminui o filme, ele continua legal mesmo assim. Esse fanatismo que não suporta uma opinião contrária é que é absurdo.

    2. Pedro, vejo Harry Potter de forma total e absolutamente distinta da que vc vê. Harry Potter não tem elementos sci-fi. E uma coisa não implica na outra. Star Trek é comparável pq os temas são muito parecidos, mas nem por isso pegaremos qualquer filme e poderemos comparar para dizer se é FC ou não. Qt ao resto do que vc falou, existe FC com comédia, com terror, com suspense, com drama. Existe FC hardcore e softcore. Existe FC live action, em cartoon, mangá, stop motion, massinha. Existe FC para criança, para jovens, para adultos (e para todos), como Wall-E, por exemplo. Percebe como essas restrições que vc está impondo não são aplicáveis ao caso?

    3. “A estética é a mesma que Harry Potter”. “FC não é feito pra criança”. Meu Deus. E esse cara é ESCRITOR!!! A literatura, no Brasil, está no fundo do poço mesmo.

    4. O único fanatismo que estamos vendo aqui, sr Pedroom (fora os haters e trolls) é o seu. Vc se apega ferrenhamente e essa sua ideia desvirtuada de forma religiosa. Veja suas respostas, são as únicas absolutistas aqui, com argumentos cujas fundamentações são os próprios argumentos.

  16. Claro que SW é ficção científica. Geração mimimi quer problematizar o fato de um filme ser ficção científica.

  17. qt tempo desperdiçado com esses intelectuais que vem dar regra do que pode ser FC ou nao… Ralph, para de responder, seu texto fala tudo o que tem que ser dito, os argumentos estão aí, as provas tb, vai ficar respodendo coisa como “mas pra Analise do Discurso a FC clássica tem que ser 100% científica” e bla bla bla… o cara tem que admitir que ele ta errado, do contrario o proprio criador de Star Wars ta errado, alem de todo o mundo que categoriza SW como FC

    1. Marcela, mas o propósito de artigos como esse é justamente o debate rsrsrs… isso que é o divertido da coisa! 🙂 Qt ao que o Pedro disse, lembre-se que o George Lucas considera Star Wars como space opera justamente pq tem elementos fantasiosos, então não é que colocar fantasia em SW seja errado, só acho que os elementos fantasiosos não são preponderantes, há mais elementos scifi e o fato de haver fantasia não descaracteriza uma obra de FC. Aliás, o artigo é justamente pra mostrar isso.

    2. o que eu disse é que tudo que vc ta respondendo pra ele vc ja colocou no artigo, é retrabalho… alem disso, tem umas coisas que não da pra engolir, “se os clones são derrotados pelos ewoks então é fantasia”… fala serio

    3. Como eu sempre digo, o debate é sempre uma curtição. Qt aos troopers, eu discordei da visão dele na resposta. Falando nisso, os troopers da trilogia clássica não são clones.

  18. Quer um exemplo? A república criou um exército de clones do Boba Fett, certo? Ora, clonagem é um tema da FC. Mas se aí eu pego esses clones e os submeto a uma guerra contra ursinhos de pelúcia, e os ursinhos de pelúcia vencem, aí é fantasia. Eu submeti a FC a fantasia, prevalece a fantasia. A tecnologia super avançada de SW sempre acaba em segundo plano, e no fim prevalece a fantasia dos Jedis ou da Força.
    O elemento mais FC do SW são os robozinhos, não fosse por isso, talvez fosse melhor colocar SW na mesma prateleira de Harry Potter e pronto. Agora, dizer que SW é FC clássica seria o mesmo que dizer que Harry Potter é uma história de bruxaria.

    1. Veja só, há uma confusão nesse tópico. O elemento científico está presente? Sim. O uso que se fez dele ficou inverossímil? Sim. Uma coisa anula a outra? Não. Erros de roteiro, continuidade, argumento, etc, não invalidam o gênero de uma obra. A derrota dos troopers (mesmo que não clones, mas apenas soldados fortemente armados) para os ewoks é um erro de roteiro, ou um argumento ruim, enfim, não é um ponto que define o gênero de uma obra. Em Interestelar, que contou com a consultoria do Kip Thorne, físico teórico, o mesmo admitiu que há pontos “científicos” do filme que são fantasiosos, pq a narrativa precisava deles mesmo que a física discorde. Isso reclassifica o filme? Em Gravidade, apesar da fidelidade científica, também há “liberdade poética” em algumas passagens, necessárias à evolução da trama. Isso é normal em um filme, e tb ocorre em livros. Star Trek precisa deixar os disparos fotônicos visíveis para os espectadores verem que tiros estão sendo disparados, senão fica um combate “ruim” de se assistir. Vc sabe que a derrota dos troopers é uma metáfora da guerra do Vietnan? Na época os EUA achavam que sua poderosa máquina de guerra ia esmagar os “pobres, desarmados e primitivos – tecnicamente falando – inimigos do Vietnan”, mas foi derrotado justamente pq os “primitivos” conheciam o campo de batalha melhor e por não usarem máquinas ou aparelhos grandes usaram técnicas de guerrilha homem a homem para enfrentar os “imperialistas” americanos (não resisti ao trocadilho rs). A derrota foi tão humilhante qt os troopers ante os ewoks.

    2. Meu caro, eu tinha feito esses comentários ANTES de ter ido assistir o novo filme no cinema, OS ÚLTIMOS JEDIS. Eu cheguei a falar pra você a respeito da tal análise do discurso, não foi? Mas é totalmente desnecessário, pois para compreender que Star Wars é pura fantasia, basta uma análise do que se vê em frente a tela.
      Chewbacca virando vegetariano e criando passarinhos na Millenium Falcon? O tal Líder Supremo como uma exata cópia de Valdemort em uma cena igual a do filme Harry Potter? Jedis conversando a distância via telepatia? Se isso não é fantasia, então precisamos realmente redefinir o termo. Nunca Star Wars foi tão fantasia como nesse filme. Eu até achava que Star Wars fosse caminhar para a FC, mas esse filme demonstrou muito claramente que o apelo do filme é a fantasia. Não tem nada de FC que não seja o cenário futurista.
      Eu achei esse o pior filme da série disparado. Apesar de ter curtido o final e achado a morte de Skywalker digna do personagem, muito melhor que a apelativa morte de Han Solo.
      Agora, isso não invalida a sua análise. Em uma análise criteriosa, eu diria que sua matéria serve pra embasar um pré-projeto de estudo tendo como hipótese a manchete que você lançou. Só que se você realizasse um estudo criterioso, não teria como você ratificar essa hipótese. Se eu fosse você, alteraria o título da matéria para algo do tipo: “os elementos de FC na narrativa de Star Wars”, mas afirmar que Star Wars é sim FC é um erro que depõe contra o seu blog, pois demonstra que é opinativo e que a matéria foi construída para ratificar a sua opinião.
      Você vai encontrar FC em Star Wars nos videogames, nos livros ou em outros subprodutos do filme, mas o filme é pura fantasia e não se encaixa como filme de FC, é só analisar a estética do filme, é a mesma do Harry Potter.

    3. Continuo achando que vc confunde as coisas. Eventuais problemas de roteiro não classificam o gênero de uma obra. Se vc acha um problema os pássaros fazerem ninhos na Falcon (eu não vi nada de mais nisso), mesmo assim isso não tem como interferir na classificação de uma obra rsrs… Qt a Harry Potter, refuto qualquer comparação… não é pq o Snoke de algum jeito te lembrou o Voldemort que por isso os filmes são parecidos. Não é pq vc viu crianças na sessão em que foi que SW é para crianças e FC não seja para crianças (SW e FC também são para crianças). A parte do artigo que lista os elementos e conceitos de FC em Star Wars diverge da sua afirmação de que a saga só tem de FC o “cenário futurista” (mas mesmo que fosse só o cenário, já bastaria). Achar que Últimos Jedi foi o pior da saga tb não devia influenciar na categorização do filme. Qt ao artigo, reitero, ele não é um artigo científico, é sim minha opinião sobre o fato, devidamente fundamentada, e discordo de que qualquer coisa nesse sentido de algum jeito possa “depor” contra o site rsrsrs… considero minha hipótese mais do que ratificada por tudo que escrevi e respondi: Star Wars tem quase todos os elementos existentes de FC e uma ou outra coisa de fantasia, é um space opera (subgênero de FC mundialmente aceito por autores, editores e etc. desde o meio do século passado), e como tanto é ficção científica, como Duna, Fundação, Star Trek, Flash Gordon, John Carter e outras obras similares. Star Wars é ficção científica sim. 🙂 Com elementos de fantasia. Com licença poética em alguns dos temas científicos. Mas ainda assim, ficção científica. Como tantas outras parecidas (e citadas no artigo e nessa resposta aqui). Abraço.

    4. que escroto esse Pedroom Lois Lanne… sugeriu vc mudar o título do seu texto? Meu Deus. Não me admira que no skoob o livro dele seja tão denegrido, olha so o nivel do cara. E os argumentos dele? Porgs na Millenium Falcon? Não é FC. Snoke parece Voldemort, então não é FC. E ele mal conhece SW, fala que stormtrooper é clone, acha que só em Os Últimos Jedi (não existe jediS, Chatoom Lanne) os force sensitive conversam à distância. Não dá. Medíocre. Se acha o senhor da verdade, o único cara certo no mundo.

    5. Nunca tinha visto a petulância de alguém recomendar a um autor mudar o título de seu artigo. Esse Pedroom é problema. Procure QUALQUER UM do CLFC, incluindo o PRESIDENTE do clube responsável pelo maior prêmio de FC do país e pergunte sobre o Pedroom. Vc vai se assustar com o que falam desse cara.

    6. esse Pedro é doente… nao a toa é motivo de piada no Clube de Leitores de Ficção Científica… sério, motivo de piada mesmo, qd tem encontro dos membros, lembramos das coisas que ele faz e fala e gargalhamos… fora o lance dele conversar com ele mesmo no Facebook, com duas contas diferentes, apoiando ele próprio em uma “discussão”… doente

  19. acho que há um certo exagero em quem da um jeito de dizer que Star Wars não é scifi… veja só, é impossível que os elementos espaciais e tecnológicos da saga não sejam suficientes pra se enquadrar como scifi (a parte 2 do artigo prova)… sinceramente parece mais uma picuinha mesmo, mas enfim, tem o lance dos sites especializados em scifi listados na parte 3 e 4 do artigo listarem Star Wars como scifi, e de escritores e cineastas e outras pessoas ligadas ao entretenimento tb listarem Star Wars como scifi e até escritores importantes mundialmente concordam que é scifi então pq não aceitar isso e pronto? é um scifi mais fantasioso? sim… pq é space opera, tipo Duna. Pronto. Não dói, né?

  20. nos parece obvio que SW é FC, nao precisamos pensar muito pra chegar nessa conclusao, ate pq o Lucas, os produtores, sempre trataram SW como ficcao, e como vc vai dizer pro inventor da saga que ele “errou o gênero”????????????????????????????????? alem disso nas outras partes do artigo o autor mostra como tudo que se fala contra cai por terra qd analisado ou – importante – qd COMPARADO com como se tratam outros filmes, como ST por exemplo… ou NENHUM desses é FC ou TODOS são… todos são, claro!

  21. Sem querer ser chato, mas essa matéria não me parece trazer qualquer referência sobre Análise de Discurso e o embasamento tá dirigido para chegar na conclusão que o autor quer. Não passa no crivo de uma análise mais metodológica. Ou seja, é uma matéria que não tem nada de científica, reflete só a opinião do autor.

    1. Pedro, isso não é um artigo científico. É minha opinião sobre o assunto. Mas, sem querer ser chato rsrsrs, só validar minha argumentação “se ela passar em algum teste metodológico da Análise do Discurso” me parece mais uma falácia ao estilo mutatio controversiae rsrsrs do que realmente contra-argumentar. Eu apresentei a questão, explanei minhas premissas com fundamentação em fatos, história e comparações, e dei minha conclusão. Se quiser fazer o mesmo, aqui, podemos debater o assunto, tenho certeza que seria bem legal, ainda mais por sermos ambos escritores de FC (além de fãs de H. G. Wells, George Orwell e Clive Barker e ambos sermos botonistas hahaha).

    2. Que bom que você é sensato. Ao contrário de uma pessoa que postou essa matéria em uma comunidade que administro do FB e me veio com palavras pouco delicadas confrontar a minha opinião, me chamando de burro com base nessa matéria. Isso sem mencionar o sujeito que me xingou aqui mesmo nos comentários anonimamente. Mas, eu não ligo pra isso, não. Só me entristece ver que certas pessoas são tão fanáticas por Star Wars ou Star Trek que se tornam cegas e intolerantes tão quanto qualquer fanático religioso.

    3. Infelizmente, Internet é um mar de intolerância. Pensou diferente, é agredido. Lamentável. Mas não se engane, eu sou tão fanático por Star Wars e Star Trek como um fanático religioso kkk no bom sentido, claro (espero).

    4. meu Deus o tal Pedrão ai perdeu até o rumo k k k k k k k k k k k k k k k k k k k to gargalhando com as maluquices que ele escreveu em muitos comentarios aqui

  22. Tem que ser muito b a b a c a pra dizer que SW não é ficção científica. Pode não ser hardcore, pode ter erros absurdos como a Starkiller, mas é sim. E nem vem me dizer que Star Trek é “perfeita” nesse sentido pq tb ta cheia de erros científicos, como o amortecedor de inércia e a velocidade “da luz” (sim, pra vc trekker fanático, na primeira versão da série ST, não existia a dobra espacial… chupa essa manga!)

    1. Star Wars é Fantasia de ficção-científica porque a história sempre se resolve pela magia das forças e dos jedis. Star Trek se resolve por proposições da ciência, mesmo que essas sejam igualmente fantasiosas, compreende a diferença ou vai me achar mais um babaca e tão somente?

    2. Yan, não é pq alguém discorda do que pensamos que a pessoa, necessariamente, se encaixa nessas definições. Na próxima o comentário não será aprovado. 🙂

    3. O capitulo 2 do artigo mostra q o José esta equivocado e inventou essa definicao. Nao eh isso q faz algo ser ou nao scifi. Resumindo: mais um babac@ chato e hater.

  23. bom, depois de tudo que eu li aqui, nao restou muita duvida mesmo rs… é ficção científica sim

  24. Não sei porque o pessoal briga quanto a classificação de um filme, pois o filme está acima do gênero que está classificado. Digo pois também entrei numa discussão dessas não faz muito tempo. A conclusão foi meio óbvia, que Star Wars é uma fantasia de ficção-científica. Mas ser fantasia ou sci-fi ou ambos não muda muita coisa né? Eu defino Star Wars como uma história de cavaleiros ambientada em um mundo sci-fi.

  25. é um space opera, nisso todos concordam… e qual a definição de space opera? é um subgenero de ficção científica… logo, SW é ficção científica… só isso já bastava pra encerrar o assunto… ainda assim vc fez um trabalho excepcional nesse artigo, parabens… cheguei nele por um post do Conselho Jedi SP… parabéns!

    1. ST e SW são, antes de tudo, dois filmes de fantasia: existe Estrela da Morte? Ou Enterprise? Ou Dragão que que cospe fogo? Não, né? Então, logo se deduz que se trata de uma fantasia. A ficção-científica não é um gênero que se reduz em histórias que são concluídas por tiros de laser ou duelos de espadas de luz, pelo contrário, a FC assim se denomina pelo diálogo ou científico contido na película. Filmes como 2001, Uma Odisseia no Espaço ou Gravidade estão muito mais próximos do que podemos definir como FC clássica do que ST ou SW. 2001 ainda é fantasioso, mas Gravidade não.
      O que define uma história como fantasia é conter elementos inverossímeis, e o que define uma história como ficção-científica é o discurso científico.
      Star Trek contém elementos inverossímeis e discurso científico, portanto é fantasia e ficção científica. Star Wars não contém discurso científico, somente elementos inverossímeis, portanto é apenas uma fantasia. Mas por se ambientar em um ambiente futurista, não há problema algum você classificá-la, como subgênero, dentro da FC. É por isso que eu digo que SW é fantasia de ficção científica. Simples.

    2. Space opera realmente está bem afastada da FC clássica. Não há o que discutir. Mas aí entra o subgênero: o space opera aceita as doses de fantasia que Star Wars e Duna, por exemplo, apresentam. Essa definição de que FC se baseia apenas e tão somente no argumento científico não é totalmente válida pq o gênero se restringiria a pouquíssimas obras (poderíamos contar nos dedos…). Serve para a FC hardcore. Para as demais, complica. Por isso a elasticidade dos subgêneros. Esse fato pode ser comprovado nas definições clássicas da FC constantes na parte 1 do artigo, de diversas fontes. E Star Wars tem sim elementos científicos, alguns fiéis, outros não. Mas tem.

    3. Se só é FC o que “existe” e o que é puramente científico, como o Pedroom falou, então adeus H G Wells, George Orwell, Arthur Clarke, Bradbury, Asimov, China Mieville… adeus filmes cult de FC pura como Prime, Maquina do Tempo, VIagem Fantástica… adeus obras como Fundação, Duna, Eu Robô, 1984. São obras apenas de fantasia. …

    4. Brida não foi bem o que ele falou, mas va lá, concordo que essa classificação muito rígida lima várias obras da classificação de FC.

    5. “Star Wars tem sim elementos científicos”, disse Ralph Luiz.

      Isso sim é verdade. Mas a essência do filme é fantasia e não FC. Se vocês foram assistir o novo filme e não perceberam que a estética do mesmo é totalmente fantasiosa e construída para agradar as crianças, então realmente essa discussão aqui não faz o menor sentido.

    6. Já concordamos então que Star Wars tem elementos sci-fi. Ótimo. Diante disso, afirmo que as definições convencionalmente aceitas por autores, produtores, editores, escritores e estudiosos de FC aceitam que uma obra, tendo elementos de FC – mesmo que eles eventualmente não sejam preponderantes – então a obra é ficção científica. Dito isso discordo tb de vc qt ao último filme (pra mim o mais adulto e dramático da saga desde Império Contra-Ataca) rs… E tb discordo com a “essência” de SW ser fantasia. Como o artigo mostra, apenas a Força e seus elementos interativos são aspectos de fantasia na saga, o resto é tudo sci-fi (claro, lembrando que é space opera), tirando-se os equívocos e confusões sobre gênero e enredo.

    7. O cara não entende. Ele é cheio de regras próprias que só se forem aceitas é que podem validar um argumento. Pro cara, FC não tem subgenero, SW é pra criança e igual HP, uma opiniao só vale se passar um tal Analise de Discurso, se alguem discorda dele de alguma coisa a discussao nao faz sentido, SW nao tem ciencia. Para tudo, cancela todas as obras que falam dos subgeneros de FC, queimem os livros e deletem os filmes que sao de “subgeneros”, apaguem TODOS os artigos da Internet que nao passam na Analise do Discurso, e peguem seu manual do que é FC com o Pedroom Lane, o grão-mestre da FC, maior que Asimov, H G Wells, Mary Shelley, Bradbury, Le Guen, Mieville, etc. Ele manja de tudo e PODE dizer pro Asimov que Fundação nao é FC pq nao existe o subgenero na qual ela se enquadra. Chupa Asimov! kkk

  26. “ah mas da pra transportar a história pra epoca medieval”… meu filho, em que maldito manual ou definicção de ficcao cientifica diz que isso tira um filme do genero??? alias, como o texto diz, toda scifi pode ser transportada pra outro cenario, simplesmente pq os humanos fazem seus scifi inspirados em alguma experiencia real aqui da Terra… chupem todos que acham que Star Wars eh fantasia!

    1. Essas definições de “Space Opera”, “Ficção Especulativa” etc são categorias inventadas basicamente por editores que querem identificar um gênero bem específico, pra que o público consiga encontrar determinada obra ou filme mais facilmente, não são categorias desenvolvidas com um método mais criterioso. Qualquer análise mais criteriosa vai identificar Staw Wars e Star Trek e qualquer obra do gênero Ficção-Científica como Fantasia. O que vai definir o que se encaixa em subcategoria de FC é o Discurso Científico, e uma análise de tal discurso é um ramo específico da ciência chamado Análise do Discurso, algo que esse artigo passa longe.

    2. Pedro, se categorizarmos “cientificamente” os gêneros literários ou cinematográficos, evidentemente que qualquer obra que tenha qualquer mínimo elemento fora da realidade concreta do nosso mundo real poderá ser enquadrado como fantasia. A questão não é essa, evidentemente. A questão é categorizar Star Wars como fantasia no sentido “capa e espada”, “filme de magos, princesas, poderes mágicos” mas não em ficção-científica, como Star Trek, Avatar, Alien, etc. É disso que se trata. Não sei quem inventou o subgênero Ópera Espacial, mas é fato que ele é aceito por editores, escritores, cineastas e leitores/espectadores/consumidores desde os primórdios do século passado. Há décadas que escritores do porte de um Asimov escrevem um livro pensando: “Estou criando uma obra de space opera”. E há décadas que cineastas como George Lucas criam filmes pensando “Estou filmando um space opera como os que eu via quando jovem, como Flash Gordon”. Como ignorar esses fatos em prol de um conceito “científico/acadêmico” que não se aplica à realidade secular dessas obras? Eu, nesse sentido, discordo totalmente dessa negativa, pois aceitá-la é o mesmo que dizer que alguma teoria acadêmica diz que “Não existe heavy metal, existe apenas rock and roll derivado do rhythm and blues. Heavy Metal, Alternativo, Grunge, Progressivo, Gothic Metal e todas as outras subcategorias de rock são invenções das gravadoras para atingir nichos específicos de mercado.” Ora, é evidente que tudo isso é rock e deriva do RnB, mas é evidente também que há distinção factual dos subgêneros conforme o estilo e eles são aceitos até pelos artistas que gravam essas músicas. Se essa teoria acadêmica diz que isso não existe, eu discordo dela.

    3. Eu vejo bem assim mesmo. Essas subcategorias da FC servem para identificar nichos específicos de livros e filmes. Mas se você subir no topo da raiz, temos duas categorias: Ficção e Não Ficção. Na ficção, por exemplo, o que vai diferenciar uma ficção-policial de uma ficção-científica é, justamente, o discurso científico. Independente disso, uma obra de FC pode ou não conter elementos inverossímeis, caso contenha, passa a ser uma fantasia. O gênero Space Opera é o que melhor define SW. O que eu não entendo é essa preocupação, essa necessidade de que SW seja identificado como FC como se, em não sendo, fosse uma grande ofensa. Tá aí um monte de zé-mané se ofendendo mutuamente por causa disso.
      Quanto a academia, é simples: eu co-orientei um trabalho de TCC sobre Star Wars, e discutindo com o professor orientador e o orientando, com base na Análise do Discurso, fica claro que SW não é FC. Em suma, o que define o discurso científico é o texto, não qualquer efeito especial ou cenário. O filme gravidade é o melhor exemplo. E mais, eu digo isso pois meu livro você vai encontrar ele nas prateleiras de FC, mas é fantasia, ainda que contenha discurso científico. Mas como se convencionou que histórias ambientadas no espaço ou em mundos futuristas ou sobre alienígenas são melhores identificadas como FC, não ha nada demais eu colocar meu livro na mesma prateleira do SW.

    4. Pedro, mas depois de subir na classificação ainda binária “ficção/não ficção”, vc desceu uma categoria e foi pra divisão “não científica/científica”. Não vejo pq não descer mais um e ir pros subgêneros da científica, aí tudo se encaixa. Como as pesquisas mostram, o diálogo científico não é o único critério pra algo se enquadrar em FC. E Star Wars, mesmo assim, tem muita ciência. Interessante saber do TCC que vc orientou… mas, como meu artigo, e como quase tudo na vida, ele com certeza não é a palavra final sobre o assunto. É uma tese. Existem outras. Já li TCC afirmando o contrário do que o seu. Seu livro está na prateleira de FC pq basicamente toda FC é “fantasiosa”, academicamente falando. Mas não deixa de ser FC por isso. Agora, realmente, esse assunto tem zero importância hahaha se Star Wars é ou não FC é puro debate nerd, é curtição. Não entre jamais na trollagem dos haters.

    5. o Pedroom cara acha que não valem os subgeneros de FC… isso já diz tudo, não? “Pra mim não vale”… bla bla bla, mimimi, meu caro, qd vc (e vcs todos, que pensam assim), vão entender que o “Pra mim” não existe? Existe o “pra todos”. A coletividade aceita os subgeneros da ficção científica, escritores, cineastas, cronistas, desenhistas de HQs, todos aceitam… isso se sobrepõe ao que vc “acha”… vc não prevalece sobre as convenções mundiais sobre o gênero…. sorry

    6. Não é mimimi, Leonidas. Isso se chama ANÁLISE DO DISCURSO. Me identifique o discurso científico em SW que eu mudo de opinião.

    7. Pedro, como eu disse em outra resposta, discordo de que para avaliar um gênero de uma obra exista apenas um caminho, como por exemplo uma análise que se encaixe na tal Análise do Discurso. Sem usar esse viés, demonstrei que SW tem elementos científicos mais do que suficientes para ser considerado FC. Demonstrei que space opera é subgênero de FC e nisso concordo com o Leonidas: as definições pessoais (minha, sua, de outros) não cabem nessa situação, tem que ser levado em conta o que é mundialmente mais aceito em relação ao tema, e autores, editores, cineastas, produtores, escritores, etc, concordam que space opera é FC e que um filme com elementos sci-fi é FC, mesmo que tenha tb fantasia.

  27. finalmente alguem poe um ponto final nessa historia idiota que haters e fãs de Star Trek inventaram que SW seria fantasia… chorem, haters!

    1. Eu acho que Star Trek é mais sci-fi que o Star Wars pois o discurso científico está presente em ST mas não aparece em SW. Star Wars é bem mais fantasioso que Star Trek, é feito mais para a “família”, enquanto Star Trek é mais adulto e voltado para o público de sci-fi.

  28. Afirmam que SW é ficção científica SIM o IMDb, Rotten, IGN, Rolling Stone, Letterboxd, The Movie DB, SciFiAbout, Best Science Fiction, SciFi Group America e especialistas sobre o assunto no mundo inteiro. Definições clássicas de ficção científica categorizam perfeitamente SW como ficção científica (space opera, sci-fi soft).

    O autor do texto compilou tudo isso e mais mil comprovações de que SW é sci-fi.

    Mas aí vem vc, haterzinho de b*sta, com base em achismos estapafurdios como “ah mas pode ser ambientado em outro cenário”, “ah mas no fundo é uma história medieval” e “ah mas não explica tudo o que é mostrado” e outros bullshits clássicos e é VC que está certo. É fantasia. Sim, porque sim.

    Certíssimo.

    Parabéns pra vc.

    Fica ai se remoendo… perdeu feio!

  29. Não sei por que há tanta necessidade de rótulos e categorias, mesmo porque de acordo com os bons dicionários esses termos são quase sinônimos… mas se fosse pra escolher entre Ficção ou Fantasia, eu diria que Star Wars é fantasia com elementos de ficção. Pra mim ficção como categoria de histórias se trata de algo onde os elementos da ficção científica (robôs, armas laser, espaçonaves, etc.) são centrais ou muito importantes na história; já na fantasia (seja ela futurista, medieval, sobrenatural, etc) o elemento central é a magia que as coisas fantásticas trazem, aquelas coisas que fazem o espectador imaginar, sonhar, fantasiar. E no caso de Star Wars existe todo um universo fantasioso, com seres fantásticos, mundos fantásticos, guerreiros fantásticos… o fato de ser espacial ou não apenas torna tudo mais especial, mas poderíamos ter as mesmas histórias se passando em um universo mágico, medieval ou até mesmo contemporâneo sem que deixasse de ser fantasioso e fantástico.

    1. o texto tem uma p*ta explanação de como não se deve analisar o assunto com bases pessoais e fala claramente que devem ser usados conceitos aceitos por convenção mundial sobre o tema e ai o cidadão vem e desembesta a falar m*rda com o clássico “pra mim, ficção científica é…” PQP meu filho pra vc scifi pode ser até novela da Globo, ou o contrário, pra vc nem Duna pode ser scifi, nao importa, o assunto não é pessoal, não é o que vc acha ou o que fulano acha… aff… leia todas as partes do texto pra ver se aprende um pouco

  30. excelente texto parabens
    É FICÇÃO SIM… pode chiar, reclamar, achar ruim, ficar de mimimi, lembrar da Força, dizer que é “fantasia”, posar de sabe tudo, fazer cara de quem entende mais que osoutros, bla bla bla… vai continuar sendo FICÇÃO CIENTÍFICA
    ponto

  31. durante toda minha vida ouvi de alguns “entendidos” que Star Wars era fantasia, e eu não sabia como argumentar com eles, e engolia aquilo, mas nunca me pareceu verdade… agora entendo o motivo de não parecer verdade, é porque não é verdade, Star Wars é ficção científica sim, e depois de ler tudo o que vc falou, não tenho mais nenhuma dúvida disso, é uma verdade incontestável

  32. Parabéns pelo texto, vinha procurando algo com mais embasamento pra formar uma opinião e encontrei.

    Não consigo imaginar um filme com uma arma de destruição planetária como a Estrela da morte não ser FC, tanto que Rogue One vai dar algumas explicações sobre a origem desse terror tecnológico e a animação Rebels, da mais detalhes sobre o sabre de luz.

    Sou trekker, mas tenho que concordar que Jornada nas estrelas tem muita fantasia, poderia citar a morte do Spock nos filmes 2 e 3, onde ele passa seu espírito para o Mckoy tocando na cabeça do dr. (tipo ligaum timer) e depois o espírito e o “novo” corpo do Spock são unidos pelos vulcanos sabe-se lá como… isso é fantasia total estilo a força…

    Gosto das duas franquias.

    1. Obrigado DS9! Como demonstramos, SW tem elementos mais do que suficientes para ser considerado FC, e os alegados motivos para classificar a saga “apenas” como fantasia são totalmente infundados. A menos, como vc mesmo já percebeu, que o critério seja o mesmo para todas as obras do cinema que tratam do tema, e assim Star Trek por exemplo tb teria que ser classificada como fantasia. Tb sou trekker, de modo que posso falar desse assunto sem problema rsrsrs… abraço!

  33. Como trekker cinquentão posso aqui dar meu aval à sua excelente teoria e concordar que diante de tudo que você apresentou, podemos dizer que Star Wars é ficção científica sim. Parabéns pelo ótimo texto.

  34. Claro que e scifi… mas a questão é:

    a) Quem é trekkie não vai concordar, não importa quantos argumentos vc tenha. Não concordam “porque não e pronto”…

    b) Quem é hater não vai concordar. Pelo mesmo motivo do trekkie.

    c) Quem é cabeça dura não vai concordar… pq não aceita que existem subgêneros scifi que não exigem fidelidade à ciência, que permitem elementos de outros gêneros (como fantasia), etc.

    4) Quem é troll não vai concordar… pq é troll.

    1. Alguns trekkers aceitam sim, pois não são todos que são fanboys, assim como ocorre no caso Marvel/DC. A questão é puramente de argumento: o artigo demonstra como, mesmo que não se goste da idéia, Star Wars é ficção científica sim.

  35. Não deixem de ler as outras partes… principalmente a conclusão… fantástico!!! Digitando com os pés, porque com as mãos estou aplaudindo!

  36. Claro que é sci-fi… nem precisava um texto desse tamanho pra afirmar o óbvio… mas vc mandou bem sim, esclareceu diversos pontos obscuros nesse debate e matou a pau ao confrontar os fatos com as baboseiras que falam por aí sobre esse assunto…

  37. É tão – tão – bom ler um artigo sobre isso que fundamente sua opinião. Vc é um herói! Parabéns!

  38. Parabens. Esse é o melhor texto que ja li sobre esse assunto. Parabens pela pesquisa. Vi o post num grupo de SW no Face e muita gente se digladiando sobre o assunto, mas a gente nota que quem discorda de vc nao consegue derrubar seus argumentos… acabam ficando na opiniao pessoal, no achismo… as vezes confrontam um argumento ou outro mas vc usou tantos que acabam sobrando muitos.

    1. Obrigado, Fernando! É um assunto complexo sim, e isso significa que existem outros pontos de vista além do meu. Abraço!

  39. Cara, parabéns pela pesquisa e tudo mais, mas discordo disso tanto quanto discordo de categorizar Star Wars como fantasia. Primeiro: Não me ofendo de chamarem Star Wars de Ficção Científica e não me ofendo de chamarem de Fantasia (ao contrário do, convenhamos, teor de seu texto) tampouco. Dito isso, segue minha opinião sobre o caso:

    Pra mim eé melhor categorizar que Star Wars é um pouco de ambos. Chamando Star Wars “sci-fi” ignora seus elementos de fantasia, tais como a Força; mas chamar Star Wars de “fantasia” ignora a sua localização interplanetária e toda aquela sensação que você descreveu no artigo.

    A melhor categoria para Star Wars pode ser a “fantasia científica” (https://en.wikipedia.org/wiki/Science_fantasy), um subgênero que combina elementos de sci-fi e do sobrenatural. Não há necessidade de forçar Star Wars em uma caixa de gênero sci-fi ou fantasia quando seus componentes de ficção científica e de fantasia trabalham muito bem juntos e em harmonia.

    1. Oi Marcelo, obrigado! 🙂 Bem pertinente sua consideração… acho que SW pode ser sim categorizada como Fantasia Científica… também! Ou seja, acaba sendo um filme de vários gêneros (subgêneros)… isso porque ela tem todas as características de uma space opera e é aceita como tal, e space opera é um subgênero de ficção científica, então não há muito o que questionar nesse sentido. Nesse sentido, chamar de space opera não ignora nenhum de seus elementos, pois esse subgênero comporta ambos. Lembrando que space opera é sci-fi soft, e uma das características do mesmo é não seguir tão perfeitamente os ditames científicos.

    2. Tudo bom, Ralph? Aliás, esqueci que depois desse artigo pude notar muito mais os aspectos de sci-fi nos filmes. Uma pena que (pelo que andei vendo) muita gente anda achando que categorizar como fantasia é algo inferior. Até isso o fã implica hahahaha Meus parabéns mais uma vez por sua pesquisa!

    1. é tão engraçado qd alguém vem num comentário e profere uma opinião sem o menor embasamento e ainda brada que aquilo é “fato” huhauhauhauahuahuahuah “Isso é assim. Fato.” uahuahuahuahuahuahuahuah que mané…

    2. Tirando a idiotice do “Fato.” (quer coisa mais idiota que falar isso em um comentário?) o que continua pegando é o tal lance do “conteúdo”. Pois então SW é ficção pq o conteúdo de Duna e Fundação, dois sci-fi mega-clássicos, é igual em termos de genero pois são óperas espaciais então ou consideramos Duna e Fundação fantasia ou então SW é ficção.

    3. Jair, vou responder só a segunda parte, ok? rs… o conteúdo de SW é sci-fi com elementos de fantasia, uma característica das space operas, um subgênero sci-fi. Se você ler o artigo todo vai compreender.

  40. é… tenho que dar o braço a torcer… depois de ler isso vi que os argumentos que eu tinha não estão corretos… parabéns pelo texto e pela pesquisa!

    1. Legal saber, Franco, que vc leu e isso mudou seu jeito de pensar sobre o assunto. Bacana mesmo.

  41. Agronopolos, como o artigo diz, isso ocorre com varios scifi… troque a nave de Alien por um.navio cargueiro… ou a Enterprise por uma diligencia do velho.oeste… e essas scifi nao deixam de ser scifi por isso 🙂 campeao

  42. A questão é simples:
    é possivel remontar a saga em uma era diferente da mesma? OBVIO que sim

    1. A questão é simples: mais uma pessoa que chega com seu conceito pessoal pré formado e esquece que existem definições de ficção científica que explicam mais do que vc imagina. É possível remontar quase toda sci-fi em uma era diferente. Nem por isso elas deixam de ser sci-fi. Pesquisinha básica antes não deixa a gente passar vergonha. 🙂

    2. Um pusta artigo gigante, com trocentos mil argumentos, e o cara vem com essa idéia batida e tão facilmente respondida de que da pra situar SW em outra era… é muito amadorismo rs… vai lá campeão!

    3. Agronopolos, é óbvio que sim, mas isso não faz com que um filme deixe de ser sci-fi. A maioria dos sci-fi pode ser remontada em outro cenário, época, gênero. E ainda assim são sci-fi. Mas isso tudo é melhor explicado no texto, que vc não chegou a ler.

  43. claro que é ficção científica… quem discorda é trekkie fanático que acha que por uma ser FC a outra naum pode ser ou então acha que FC é o que ele acha e não o que se aceita como FC de forma geral

    1. Eu gosto mais de Star Wars do Star Trek e afirmo, com base na ciência da Análise do Discurso que Star Wars é fantasia. Isto não é minha opinião, é um fato incontestável.

    2. Discordo. Se algo relacionado a esse assunto fosse incontestável mesmo, não existira esse debate.

    3. Proponha esse desafio a si mesmo. Estude Análise do Discurso e repense seu artigo com base nela. Isto é, a menos que tenha medo de chegar em tal conclusão.
      Só um detalhe: eu tô me apegando a história original, a série cinematográfica, pois o universo de SW é tão vasto, são tantos produtos que, claro, em meio deles você vai encontrar o tal discurso científico. E há de se dizer que as películas mais atuais tem caminhado mais pra lado da FC do que da fantasia. Agora, onde você identifica o discurso científico em SW? Porque eu não consigo identificar.

    4. Como eu disse, não é essa a questão. É evidente que tudo que foge um mínimo da realidade pode ser enquadrado como fantasia. Não duvido que perante a Análise do Discurso eu chegue nessa conclusão. A questão é: esse é o único meio válido de se analisar o assunto? Para mim, não. Na parte 1 do artigo eu listei todos os elementos científicos de Star Wars, são dezenas. Se são factíveis ou não (e alguns, obviamente, não são), é outra questão. Outros muitos são. Usar esse critério que vc propõe desclassificaria de FC por volta de 99% de todas as obras desse gênero (chute meu, claro rs).

    5. o cara ta te trolando Ralf… quem quer falar serio nao vem com essas de “a nao ser que vc tenha medo” pra te provocar… nao cai na dele nao… vc eh paciente demais pro meu gosto kkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *