Maxiverso

Resenha: Como falar com Garotas em Festas

Como falar com Garotas em Festas é baseada em um conto, de mesmo nome, do escritor Neil Gaiman, adaptado pelos irmãos brasileiros Fabio Moon e Gabriel Bá, e conta a história de dois amigos adolescentes a procura de uma festa e que, ao a encontrarem, algo mágico acontece.

Enn conta como ele e seu amigo Vic procuravam por uma festa, e acharam. Vic era o típico garoto popular da escola que sempre se dá bem com as garotas, enquanto Enn é o cara introvertido, tímido e que não tem a desenvoltura para ter o mesmo sucesso do amigo.

Quando vem a grande dica de Vic “Você só tem que falar com elas“, a mesma, para qualquer um, soa como absurdo de tão óbvio, mas para um garoto tímido é um grande desafio. E é após o esperado encontro da garota mais bonita da festa com o garoto mais popular do colégio que acontece o verdadeiro barato da história.Como-falar-com-Garotas2-300x300 Resenha: Como falar com Garotas em Festas

Depois de se distanciar de Vic, Enn põe em prática o conselho do amigo, e cada garota com quem ele conversa é uma viagem a parte, como se elas fossem de outro planeta, de um conto de fadas, como um poema. E o mais interessante é a interpretação que podemos tirar desses encontros; como se para uma pessoa introvertida o que acontecia no momento da conversa fosse de fato uma viagem e a garota fosse algo inatingível que estava ali, por um instante, para que pudesse ser tocada.

A narrativa é muito bem conduzida e envolvente, apesar de ser uma leitura rápida, dá pra entrar no clima e sentir-se na pele do protagonista, principalmente se as características baterem (o que foi meu caso). A arte dos irmãos Moon e Bá dá ainda mais magia ao conto, deixando fácil visualizar o que é proposto por Gaiman. Podemos dizer que é um casamento perfeito, o roteiro de Gaiman e as artes de Moon e Bá.

Gaiman já roteirizou histórias da Marvel como 1602 e Eternos, e na DC trabalhou com seu personagem preferido, o Batman, em O que Aconteceu ao Cavaleiro das Trevas, além de ter entrado para a História dos quadrinhos com um dos pés do tripé que “revolucionou a nona arte e a fez subir de patamar” (ao lado de Watchmen e Cavaleiro das Trevas): Sandman. Bá e Moon tem histórias próprias como Dois Irmãos e trabalharam nas artes de Hellboy no México.

Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarJean-150x150 Resenha: Como falar com Garotas em Festas

Jean Bonjorno

Formado em jornalismo, leitor de quadrinhos, costumava escrever alguns poemas quando adolescente. São Paulino, antes de entrar pro mundo dos quadrinhos, colecionava camisas de futebol (hoje não é possível manter as duas coleções =/). Baixista e roqueiro, por que tudo na vida tem que ter uma trilha sonora... e que seja uma boa trilha sonora!

4 comments

  • Vostro:

    Gaiman mestre. O autor deixa pistas para que o leitor preencha as lacunas com aquilo que faz sentido para si. Deixa nas mãos de quem acompanha a história a possibilidade de interpretar sua mensagem e assim criar, na própria mente, o final que achar mais adequado. Acredito que aqui, através dos quadrinhos, essa interpretação acontece de maneira muito mais natural do que na leitura do conto original, quando a gente precisa se fiar somente com a própria capacidade imaginativa para criar representações que façam jus ao texto.

    • Jean Bonjorno
      JEAN RODRIGO BONJORNO:

      Exatamente isso…

  • Cacá:

    eu li isso ai me identifiquei na hora hahahahahahahah eu sempre fui o protagonista, a vida toda tive essa dificuldade

    • Jean Bonjorno
      JEAN RODRIGO BONJORNO:

      também me identifiquei logo de cara. Tanto que nem pestanejei em pegar esse material pra ler. Haha

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top