Resenha: Dias Perfeitos

Título: Dias Perfeitos

Autor: Raphael Montes

Anúncios

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2014

Páginas: 280

Com os direitos de tradução vendidos para 13 países, Dias Perfeitos se tornou um grande marco da literatura contemporânea atual. Brasileiros e gringos já conhecem e já adoram um nome que tem ganhado destaque na literatura e também na área televisiva: Raphael Montes.

13671_gg1 Resenha: Dias Perfeitos
Capa do livro “Dias Perfeitos”. Companhia das Letras, 2014.

Mas o que separa sua escrita da de tantos outros autores brasileiros?

A maturidade é, ao meu ver, um ponto de importante destaque. Mesmo com seus vinte e poucos anos, Raphael já domina a língua, usando-a como seu instrumento de sedução. Flui e flui bem o que ele escreve.

Sobre o livro que o garantiu destaque internacional, no começo, o personagem retrata as características de um psicopata, lembrando um pouco o mais querido personagem do gênero nos anos 2.000: Dexter Morgan. O autor demonstra muito conhecimento técnico sobre as áreas das quais fala e escreve à medida que esbanja seu belo português.

A leitura, acredito, pode ser dividida em duas partes, sendo a segunda principiada com um passeio guiado pela luz de uma lamparina. Deste ponto para frente é, de fato, um livro brilhante, deixando muitos autores internacionais à deriva. Original, bem escrito, detalhado e com a dose certa de insanidade que abala a mente do leitor.

Téo, o personagem principal, bebe de sua própria megalomania à medida em que assombra a pobre e energética Clarice. É perturbador – muito – notar o quão seus atos às vezes não se afastam do que muitos julgam comum.

No mais, claro que Téo não é um rapaz de atos comuns. Se fosse, Montes não escreveria sobre ele.

A última frase do livro é muito instigante ao meu ver, porém, a ideia de que se fosse terminada algumas páginas antes teria um toque a mais é compartilhada por algumas pessoas (e eu não posso dizer que discordo; é um “win win”).

Em novembro sai um novo romance de sua autoria, o quarto: Jantar Secreto.

printfriendly-pdf-email-button-notext Resenha: Dias Perfeitos
The following two tabs change content below.
AvatarMatheus-150x150 Resenha: Dias Perfeitos

Matheus Mundim

Economista por formação e escritor por insistência. Acreditava que devíamos nos envolver com a ficção, pois as verdades da vida nos levariam à loucura. Enlouqueceu acreditando nisso.

7 thoughts on “Resenha: Dias Perfeitos

  1. Raphael Montes consegue nos levar a fundo em sua história e nos envolve de uma forma extraordinária. Dificilmente um livro me causa tantas sensações como esse fez… O que mais sobressaiu foi a perturbação. O protagonista do livro é extremamente cruel e não possui consciência das atrocidades que realiza, o que torna tudo ainda pior. Porém, é isso que faz de “Dias Perfeitos” um livro excelente. Pode não ser ideal para qualquer um, mas recomendo para quem procura uma leitura fora da sua zona de conforto.

    1. Dias Perfeitos não me agradou. Há algum tempo, comprei o livro de um autor que se promove pelo Facebook. Era um livro policial, e eu não esperava muito dele. Acabou se revelando um livro péssimo. Para mostrar como Dias Perfeitos acabou sendo uma decepção, eu esperava que o livro do autor do Facebook fosse um Dias Perfeitos um pouco melhor. É isso.

      Talvez eu leia um próximo livro de Raphael Montes, mas só se eu ler que ele amadureceu muito como escritor, e que seu novo livro é muito melhor que Dias Perfeitos. Mas ele é jovem, e tudo indica que tem um longo e alvissareiro caminho a percorrer como escritor de literatura policial, a despeito da minha desfavorável opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *