Maxiverso
AnimesOtakuImpressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016
impressoes-finais

Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016

A temporada do outono japonês acabou, e aqui vão as impressões finais de alguns dos animes em lançamento nos últimos meses. Os comentários contêm SPOILERS. Para quem não assistiu os animes abaixo, recomendo que leia apenas as primeiras impressões. Caso tenham assistido, continuem lendo e fiquem à vontade para comentar o que acharam deles. Aqui estarão os comentários apenas dos animes concluídos. Semana que vem, deixarei os comentários daqueles que continuarão nessa nova temporada de janeiro.

img3_kiss_him_not_me Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20161. Watashi ga Motete Dousunda

Episódios: 12 | Estúdio: Brain’s Base | Gênero: comédia, harém, romance, escolar, shoujo | Diretor: Hiroshi Ishiodori | Origem: mangá

Esse anime foi um dos mais divertidos que acompanhei na temporada. O fato de a história ser meio episódica combinou bem com a comédia: a cada semana, algo diferente e engraçado nos aguardava. Como imaginei logo no começo, o fanservice não foi pesado, pelo contrário, acredito que muitos fãs de yaoi ficaram um pouco frustrados. O anime deu um certo destaque ao romance, mesmo que Serinuma não fosse exatamente como a maioria das protagonistas de shoujo. Em alguns momentos, cheguei a achar que aquelas pitadas de romance fossem parar em algum lugar, especialmente quando Mutsumi-senpai se deu conta dos próprios sentimentos.

Sei que a maioria dos espectadores estavam torcendo por ele. Eu era do grupo que torcia para que ela continuasse apenas shippando os rapazes, mas se fosse para escolher algum, concordo que o senpai seria a melhor escolha. No entanto, com o final nós vimos que, até o último momento, ela não deixou de lado o seu amor pelo 2D, escolhendo continuar sendo a otaku e fujoshi de sempre até o fim, ainda mais depois de seu “husbando” Shion ter sido ressuscitado, continuando a ocupar o primeiro lugar no coração da protagonista.

Um final meio previsível, já que com tantas opções no “harém”, e pela forma como ela via todos eles (como amigos), seria bem improvável que Serinuma fosse escolher algum. O final retorna ao raciocínio inicial da protagonista: o melhor lugar no qual a princesa poderia estar é aquele onde ela observa o romance alheio dos dois príncipes. Fãs de BL entendem.

A propósito, a seiyuu que fez a voz da personagem, Yuu Kobayashi, foi uma das que mais se destacou nos animes que assisti nessa última temporada. Se não viu ainda, confira AQUI uma lista com 5 seiyuu de destaque.

kiss_him_not_me Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img5_drifters Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20162. Drifters

Episódios: 12 | Estúdio: Hoods Drifters Studio | Gênero: ação, aventura, comédia, fantasia, histórico, samurai, seinen | Diretor: Kenichi Suzuki | Origem: mangá

Antes de mais nada, preciso dizer que a abertura desse anime foi a minha favorita da temporada. A música, o estilo de desenho, as cores e a edição da abertura são tão legais e passam tão bem o clima de Drifters que vou até deixar o vídeo pra quem quiser rever e já sentir saudade desse anime que infelizmente acabou: AQUI.

Drifters agradou muita gente. Dos animes que peguei, foi o que mais teve ação e lutas empolgantes. Além disso, o fato de ter personagens históricos de épocas e locais diferentes, jogados num mesmo mundo alternativo, foi muito interessante pela interação dos mesmos. Tivemos figuras famosas como Joana D’Arc, Gilles de Rais, Aníbal Barca, Cipião Africano, Hitler, e outros nem tão famosos para o público ocidental, como o próprio Toyohisa Shimazu, Nasu no Yoichi e Oda Nobunaga, mais conhecidos de quem já assiste animes ou conhece um pouco da história do Japão.

Gostei bastante de como fizeram questão de mostrar diferenças culturais entre os personagens, em especial o código de honra do protagonista Toyohisa: por exemplo, na cena em que ordena ao senhor (não-japonês) de um castelo, depois de se render, que cometa seppuku (suicídio honrado por meio de um corte no abdômen) e o homem acha a ideia um absurdo.

Toyohisa e outros personagens, como Nobunaga e Yoichi, mesmo que não estejam mais no Japão, não deixam de seguir os códigos de conduta da época em que viveram, e com a interação deles e dos demais personagens temos algumas pequenas doses de história ao longo da trama. O anime desde o início deixou claro que misturaria fantasia e tomaria muitas liberdades com seus personagens, então é bom assistir com isso em mente, e curtir a ação que resulta daí. Além dessas figuras, tivemos monstros, dragões, anões e elfos. O que mais poderíamos querer pra misturar fantasia com história? É só deixar o rigor de lado e curtir o anime pelo que é. Gostei muito de Difters e espero que venha logo a continuação.

A propósito, é bem provável que a identidade do Rei Negro seja Jesus, por todas as pistas dadas. Se for mesmo, tiro o chapéu para o criador Kouta Hirano.

drifters Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img7_gakuen_handsome Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20163. Gakuen Handsome

Episódios: 12 | Estúdio: Team YokkyuFuman | Gênero: comédia, paródia, escolar, shounen-ai | Diretor: Toneso Kiashi | Origem: jogo

Gakuen Handsome seguiu a proposta inicial de ser um anime episódico e o interessante foi focar não apenas no protagonista, mas dedicar alguns de seus episódios aos demais personagens. É cheio de personagens excêntricos em situações absurdas, ridículas e hilárias. A própria abertura e o encerramento do anime refletem bem isso. Aliás, o tema de encerramento foi um dos meus favoritos dessa temporada. Com um vocal levemente infantil, a música é cativante e gruda na cabeça, sem falar na animação do encerramento, que mostra os personagens dançando com uma animação que tem intenção de parecer preguiçosa e sem noção ao mesmo tempo.

Apreciem essa maravilha AQUI.

print_twitter Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016

Ser notado pelo senpai é bom, mas sabe como é ser notado pelo(a) sensei?

Cada fim de episódio tinha um fanart de algum desenhista e foi uma surpresa o dia em que o fanart da vez era o de uma das minhas mangakás favoritas. Foi tão emocionante que corri para comentar com ela no Twitter, com meu japonês precário, que pelo menos foi o suficiente para que ela entendesse e desse um like.

Dispersões à parte, a respeito do boys love, mesmo que o anime seja uma paródia do gênero, não tem nada explícito: não tem beijo, nem romance, nem nada muito sério. Só piadas com os clichês desse tipo de história, que resultam nas situações hilárias já mencionadas. Tivemos o protagonista sem olhos, típico anônimo de visual novel, numa escola masculina cheia de homens bonitos. Um professor que dá em cima dos alunos. Um diretor excêntrico gente boa. O esportista garanhão. O nerd tsundere. Um colega mais tsundere ainda que secretamente tem um amor incondicional por gatinhos fofinhos (e quase morreu quando foi recepcionado por uma montanha de felinos num “nyan-café”). Acredito que até os fãs de BL resolveram assistir mais pela comédia do que por outra coisa, e comédia não faltou. Não soube de ninguém que se decepcionou, pelo menos os que sabiam em que barco estavam entrando quando começaram a assistir Gakuen Handsome.

G_H Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img11_yuri_on_ice Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20164. Yuri!!! On Ice

Episódios: 12 | Estúdio: MAPPA | Gênero: esporte | Diretora: Sayo Yamamoto | Origem: original

Empolgante e com um shounen-ai* nas entrelinhas, Yuri On Ice deixou fãs delirando a cada episódio. Para aqueles que são indiferentes às cenas lovey-dovey, as competições emocionantes e quase ininterruptas fizeram valer a pena acompanhar esse anime da temporada. A cada performance, especialmente do protagonista Katsuki Yuri, o coração batia forte. Nunca imaginei que um anime de patinação no gelo me deixaria tão ansiosa nesses momentos. Acho que é o primeiro de esportes que me deixa assim, com o coração na mão até saber o resultado final. E, claro, as pitadas de yaoi aqui e ali, apesar de nada muito sólido, foram ótimas, e sites como Twitter, DeviantArt e Tumblr se encheram de fanarts.

A animação teve momentos bons e outros nem tanto. Apesar de não estar 100% o tempo todo, a bela trilha sonora e a história com um bom desenvolvimento de personagens compensaram essas falhas. A OST oficial, que já foi lançada, é uma mistura de música clássica com gêneros mais contemporâneos. As músicas das performances estão lá, inclusive os temas mais queridos dos fãs: Yuri On ICE, Eros e Agape. O último episódio do anime foi emocionante, apesar de eu estar esperando mais cenas com teor yaoi, mas de qualquer forma foi lindo e bastante elogiado, e com um “see you NEXT LEVEL” bem no finalzinho, para fechar com chave de ouro. Assim, foi para terminar deixando os fãs com um sorriso no rosto. Ao que parece, teremos notícias de uma nova temporada em fevereiro.

Muita gente está empolgada com a possibilidade de uma continuação, afinal, muitos querem ver o que aguarda nosso protagonista reerguido, depois de contar com a ajuda de Victor, indispensável para que Yuri recuperasse a confiança em si mesmo. Agora, Yuri está disposto a pegar ouro na próxima, e Victor está animado para voltar a competir. Seria ótimo ver os dois como rivais no rinque. E, claro, ver se o romance ainda vai decolar. Aguardemos.

*Shounen-ai: romance entre personagens do sexo masculino.

yuri_on_ice Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img13_occultic_nine Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20165. Occultic;Nine

Episódios: 12 | Estúdio: A-1 Pictures | Gênero: mistério, sci-fi | Diretor: Kyohei Ishiguro | Origem: light novel

“Ascension!” Chegou ao fim um dos animes mais promissores da temporada passada, especialmente por ser uma adaptação da novel do mesmo autor de Steins;Gate. Depois dos primeiros episódios que apresentaram vários mistérios logo de cara, outros foram surgindo, enquanto alguns foram sendo solucionados: a causa da morte de todas aquelas pessoas e sua identidade, a ligação entre todos os personagens, a possibilidade de ver certas pessoas mortas, o que é a Zonko, do que se trata a arma da Ryo-tas, etc. Só a Ririka Nishizono continuou um mistério, e, bem no finalzinho, uma câmara criogênica sendo aberta, com a inscrição “Gamon Yuta”?!

De modo geral, Occultic;Nine foi cheio de surpresas, com exceção de uma coisa ou outra que acabei prevendo antes que revelassem. Por exemplo, desde o começo, senti que haveria algo por trás da despreocupada Ryo-tas, porque personagens daquele tipo geralmente guardam um mistério. Logo quando a Zonko deu as ordens para que Gamotan removesse o molar-chave, imaginei que ela e Ryo-tas fossem a mesma pessoa. Mais alguém notou a voz muito parecida? Era algo meio óbvio, mas pela revelação tardia, acho que o anime não tratou como se fosse tão evidente. No entanto, que ela também fosse Aveline, filha do Nikola Tesla, no corpo da neta do “imperador” do conglomerado MMG, isso sim foi uma surpresa que eu não esperava.

Alguns fãs de Steins;Gate gostaram das referências e do anime em geral, outros nem tanto. Fãs de Steins;Gate ou não, muita gente não gostou de Occultic;Nine logo de cara. Outros gostaram, mas foram perdendo o interesse. De qualquer forma, trata-se de um anime cheio de teorias científicas por trás das coisas aparentemente sobrenaturais, e que pode dar um nó na cabeça pelas diversas explicações corridas — o andamento continua rápido até o fim, não tanto quanto no começo, mas sempre acima do normal. Pessoalmente, achei o anime proveitoso, por mais absurdas (ou incompreensíveis) que fossem certas coisas. Como não sou nenhuma cientista do ramo da física, deixo o aprofundamento das teorias para quem tem mais familiaridade com isso.

occultic_nine Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img17_keijo Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20166. Keijo!!!!!!!!

Episódios: 12 | Estúdio: Xebec | Gênero: ecchi, shounen, esporte | Diretor: Takahashi Hideya | Origem: mangá

Esse anime é mais nonsense do que eu imaginava que seria. Golpes como “Bunda Fervente”, “Meteoro Resbundecente” ou frases como “tem estrelas em formato de bunda brilhando no céu”, são só alguns exemplos do que aparece no decorrer da história. O anime segue a linha daqueles de esporte, focando inicialmente no relacionamento e amizade entre as personagens principais, depois se estendendo às outras da mesma escola, até chegar no embate com estudantes de fora, profissionais e competições interescolares. Nem todas as personagens foram desenvolvidas muito a fundo ou tiveram seu passado mostrado. Por ser um anime quase totalmente composto por garotas, estava esperando mais fanservice yuri*, o que não teve tanto, com exceção da personagem Kusakai e suas investidas.

A animação permaneceu relativamente consistente, mas com quedas na qualidade dependendo do episódio. Os golpes foram ficando cada vez mais absurdos, com efeitos de poderes coloridos aliados a nomes sugestivos. Eu que achava que o anime focaria em lutas de “peito e bunda” mais realistas, fui pega de surpresa com coisas exageradas, golpes impossíveis que desafiam as leis de anatomia, da física, do universo, enfim. Para quem gosta de ecchi e não se importa que o anime tenha ou não uma boa história, vá fundo. Mas para quem não tem costume, só recomendo que assista com a mente bem aberta. Não é um anime de se levar tão a sério, como outros animes de esporte, já que os golpes impossíveis e o fanservice apelativo dominam boa parte das lutas. Algumas fizeram até referências a poderes de outros animes, como jutsu de Naruto e o Gate of Babylon, do Gilgamesh (Fate Series). Mas como eu disse nas primeiras impressões, eu ficaria mais contente com um anime de artes marciais de verdade, e mais realista.

*Yuri: romance entre personagens do sexo feminino.

keijo Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


img19_bernard_jou_iwaku Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20167. Bernard-Jou Iwaku.

Episódios: 12 | Estúdio: Creators in Pack | Gênero: comédia, escolar | Diretor: Hirasawa Hisayoshi | Origem: mangá

O curta teve vários momentos informativos, sobre livros e autores, alguns mais conhecidos, outros menos. Também contém algumas informações interessantes sobre editoras japonesas e situações pelas quais os apaixonados pela leitura vão entender, como o gosto por um certo tipo de capa, o que escolher para ler, a experiência de comprar em sebos, etc. Os personagens que se conheceram por frequentar a biblioteca da escola acabam se tornando amigos. Presenciamos até uma amizade bem improvável de início, entre a diligente leitora de sci-fi, Kanbayashi, e a protagonista preguiçosa, Machida. Uma amizade que nasce a partir do mesmo hobby, para encerrar bem o anime.

bernard_jou_iwaku Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016


cheating_craft Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/20168. Cheating Craft

Episódios: 12 | Estúdio: Blade | Gênero: comédia, ação, escolar | Diretor: Keitarou Motonaga | Origem: light novel

Cheating Craft não constou na postagem das primeiras impressões da temporada de outono, mas falei dele nesse outro post. Como foi dito, o anime tem como protagonista o personagem Mumei, com suas técnicas incríveis para colar nas provas e conseguir passar de ano. A comedia é bastante nonsense, e fica ainda mais a partir do 6° episódio, lembrando um pouco o estilo de comédia de Gintama — com a mesma seiyuu da Kagura para a Kou-chan, não tem como não lembrar de Gintama.

Os alunos têm que fazer provas em lugares cada vez mais impossíveis: no meio do mar, na correnteza de um rio rumo a uma catarata, entre outros. Os examinadores também são incomuns, e a cada prova um nível mais alto de dificuldade. Nisso, Mumei aperfeiçoa sua técnica Shokatsu para poder lidar com os desafios finais, e o anime vai ficando cada vez mais louco, chegando num nonsense bastante aleatório, por isso, é melhor que quem decida assistir esteja preparado para uma viagem insana, e para o baita cliffhanger no final.

cheating-craft Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016

No votes yet.
Please wait...
Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarKarina-150x150 Impressões Finais: Temporada de Animes OUT/2016

Karina Moreira

Formada em História, é membro do Grupo de Estudos de Histórias em Quadrinhos de Franca (GEHQ). Há anos não consegue viver sem sua dose diária de animes e mangás, o que aumentou seu interesse pela cultura japonesa, e espera conseguir dominar o complexo idioma dos kanji um dia... De vez em quando, gosta de desenhar e passar a madrugada rindo de vídeos de pegadinhas.

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top