Maxiverso
CINEMAEspeciaisSaiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason Voorhees
Splash7SextaFeira13

Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason Voorhees

Hoje é Sexta-Feira 13, e a maior lembrança dessa data em termos de cinema é, claro, é a série (ou “franquia”) slasher que tem Jason Voorhees como protagonista (com exceção do primeiro filme, em que a assassina é sua mãe, como todos já devem saber).

Relembre nos tópicos abaixo a “saga” Voorhess no cinema, composta quase que completamente de filmes toscos e bisonhos, salvo duas exceções antigas e uma refilmagem, mas que garantiram a diversão de toda uma geração:


Splash7SextaFeira13pt1-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 (1980):

Tudo começa de forma meio despretenciosa nesse terror de baixo orçamento, dirigido, roteirizado e produzido por Sean S. Cunningham. É o melhor (ou menos pior) filme da série original, com uma história razoável, um clima de suspense também razoável e personagens que até conseguem despertar alguma simpatia. O filme, maior responsável pela popularização do terror slasher, criou paradigmas que viraram clichês obrigatórios em quase todas as produções do gênero desde então, como a “heroína” ser a “virgem” boazinha, as cenas de sexo entre as futuras vítimas, as mortes ocorrerem de forma espaçada ao longo do filme, a seqüência em que alguém diz “já volto” e nunca mais aparece, os cadáveres dispostos pelo assassino para serem encontrados no final e, claro, a estupidez latente das futuras vítimas, que tomam decisões idiotas o filme inteiro. As cenas gore transformaram o maquiador Tom Savini em um verdadeiro mito dentro do gênero e o filme foi um sucesso estrondoso de bilheteria para a época.

O longa também é responsável pelo até então maior plot twist da história do gênero ao revelar, no final, que o assassino era a mãe de Jason. Dados não-oficiais dizem que no ano de estréia do filme, a taxa de inscritos para acampamentos de verão nos EUA caiu 69%. Na trama, um grupo de monitores está preparando a reinauguração do acampamento Crystal Lake, fechado por conta da suposta morte de Jason Voorhess anos antes. Enquanto estão botando a casa em ordem, os monitores e o proprietário começam a sumir até que na parte final do filme a heroína começa a encontrar os cadáveres e se vê perseguida pela assassina, que considera todos ali responsáveis pela morte do filho e quer sua vingança.


Splash7SextaFeira13pt2-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte II (1981):

O sucesso de bilheteria do filme original foi tão grande que ninguém perdeu tempo e já no ano seguinte uma continuação estreou para pegar carona na fama do predecessor. Essa parte 2 ficou marcada por – agora sim – ter a primeira aparição de Jason Voorhees no cinema, sendo que ele se transformaria, ao longo do tempo, num dos mais famosos e cultuados assassinos seriais da História do cinema. A curiosidade é que aqui, Jason ainda é uma “pessoa” e não a entidade sobrenatural e imortal que mais tarde o caracterizaria. Também não foi aqui que a tradicional e icônica máscara de hockey foi usada, já que Jason usa um saco para esconder o rosto. O longa começa onde o anterior havia terminado, mostrando o assassino se vingando e matando a sobrevivente do filme anterior antes mesmo dos créditos iniciais. A partir de então, o filme volta ao Crystal Lake onde Jason perpetra mais um massacre e até tem – a exemplo do original – uma história razoável (que descambaria a partir do terceiro) em que nem todos são mortos e não conseguimos adivinhar, ao bater os olhos nos personagens, quem vive e quem morre.


Splash7SextaFeira13pt3-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte III (1982):

Com dois sucessos de público seguidos, mesmo com produções paupérrimas e atores ruins, os produtores perceberam que tinham ali uma galinha dos ovos de ouro e não perderam tempo, decidindo que continuariam a explorá-la enquanto pudessem. Uma pena que, ao invés de fazer a qualidade das obras subirem, fizeram o contrário. Essa terceira parte marca o começo da piora na já baixa qualidade dos filmes da série, que nas duas primeiras obras eram pelo menos tentativas de se fazer algo “decente”. De positivo aqui temos duas coisas: a introdução da máscara de hockey e o final meio em aberto, que deixa a dúvida se Jason foi ou não morto pela última sobrevivente dentre os personagens alvo do assassino (algo que, a partir de então, se torna regra na franquia). De resto, roteiro, direção e produção péssimos e ausência total de suspense – o filme descamba de cara pro terror explícito.


Splash7SextaFeira13pt4-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte IV: O Capítulo Final (1984):

Com o subtítulo que dava a entender que se tratava do fim da franquia (algo que ocorreu outras vezes, posteriormente), a parte 4 da “saga” de Jason foi mais um sucesso comercial, rendendo mais de vinte vezes seu orçamento. Com alguns atores razoavelmente conhecidos e uma tentativa de novidade no roteiro – já que a história, ocorrida apenas dois dias depois do fim do filme anterior, mostra Jason indo atrás de um outro assassino serial, que havia matado sua irmã, e, claro, destroçando quem cruzava seu caminho – este filme encerra a primeira “fase” da franquia, mas não escapa dos problemas vistos na parte 3, inerentes à produção e direção. De notório neste longa temos apenas a confirmação de algo que até então era apenas uma suspeita: Jason é uma “coisa” que, apesar de morta, continua viva! Ou então, apesar de morrer, continua vivendo…. enfim, neste Capítulo Final, Jason novamente ataca os arredores de Crystal Lake e causa nova carnificina em quem estava por lá fazendo as burradas de sempre.


Splash7SextaFeira13pt5-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte V: Um Novo Começo (1985):

Com o sucesso da parte 4, ficou evidente para os produtores que novas continuações eram viáveis, comercialmente. Assim, essa retomada é o começo da era caça-níquel da série, marcada por produções cada vez piores (com exceção da parte 6), com o único objetivo de amealhar mais alguns milhares de dólares dos “fãs” da franquia – sim, eles já existiam. Temos aqui provavelmente um dos piores filmes de Sexta-Feira 13, em que o assassino do filme não é Jason e sim uma pessoa comum – sem os dons sobrenaturais – que começa a matar desenfreadamente (na época, houve uma tentativa de revitalizar a franquia com um novo personagem). Na história, um assassino elimina todos – isso mesmo todos – os que cruzam seu caminho em um instituto psiquiátrico e arredores. Não há nada de bom pra falar do filme, desprezado até mesmo pelos fãs da franquia, a não ser os minutos finais que fazem um desfecho aceitável.


Splash7SextaFeira13pt6-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte VI: Jason Vive (1986):

Junto com o longa original de 1980, esta parte 6 é a melhor da série. Com produção digna e um tom de autoparódia, mas mantendo o clima de terror, vemos um filme diferente, com cenas de humor e boas atuações. Aqui, o sobrevivente do filme anterior vai até o cemitério onde está o corpo de Jason para “se certificar de que ele morreu mesmo”, tentando dar um fim aos seus pesadelos, mas uma trapalhada dele e um providencial raio que acerta em cheio o assassino, garantem a volta do matador da máscara de hockey. A partir de então, Jason volta ao acampamento (reaberto novamente), faz várias vítimas no caminho – com a perícia com armas brancas mais afiada do que nunca – e garante algumas das melhores cenas da série, como quando recebe um tiro de paintball ou então quando vê uma criança no alojamento de Crystal Lake. Destaque também para a cena em que um policial atira em Jason e constata sua “imortalidade”.


Splash7SextaFeira13pt7-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte VII: A Matança Continua (1988):

Depois da boa continuação número 6, a série voltou à bagaceira com esta bizarra parte 7. Novamente com produção bisonha, e roteiro e direção toscos, esse A Matança Continua confirmou a queda da franquia. Na história, um psiquiatra que trata de uma moça com poderes telecinéticos, a leva para Crystal Lake para continuar o tratamento (quando o que ele quer na verdade é fazer fama e fortuna com os poderes da moçoila) e ela, acidentalmente, reanima Jason, que estava no fundo do lago desde o final do filme anterior. Temos aqui o que de pior a franquia (e o gênero) apresenta: os estereótipos absolutos dos personagens que serão massacrados, diálogos que causam vergonha alheia, atuações idem, atitudes e decisões estúpidas de todos que estão em Crystal Lake, cenas de sexo que servem para mostrar as próximas vítimas, mortes espaçadas dentro de intervalos propositais e a mocinha “virgem” que sairá viva no final.


Splash7SextaFeira13pt8-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Parte VIII: Jason Ataca em Nova Iorque (1989):

Para manter a média de quase um filme por ano e tentar dar um frescor de novidade na série, os produtores resolveram colocar Jason em uma grande metrópole (após uma introdução em Crystal Lake) para ver a reação dos fãs, talvez para evitar o cada vez maior questionamento de por que raios o FBI não interditava aquele maldito acampamento em que já haviam sido debulhadas mais de 50 pessoas em um intervalo de poucos anos. Novamente redivivo por uma descarga elétrica, Jason volta do lago para massacrar quem ver pela frente (já que suas motivações sumiram alguns filmes antes), embarcando em um navio que ruma a Nova Iorque. Após, persegue os poucos sobreviventes em plena cidade, indo de becos escuros à lajes de edifícios, com poucas testemunhas e quase nenhuma repercussão. Destaque para o momento que, perseguindo um dos sobreviventes do barco, ele passa por uma molecada em plena Times Square da madrugada e, por motivos desconhecidos, não mata ninguém.


Splash7SextaFeira13pt9-300x300 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason VoorheesSexta-Feira 13 – Jason Vai para o Inferno: A Última Sexta-Feira (1993):

Depois do filme 8, que já não havia sido um sucesso comercial, tivemos um hiato de alguns anos até que a Paramount (que havia comprado os direitos da franquia) soltou este que é de longe o pior filme da série, ainda que tenha uma das produções mais “ricas” e atores menos chinfrins. Para tentar retomar a série, aplicam uma nova explicação para os dons de Jason, praticamente ignorando tudo o que a mitologia do personagem havia fixado, mostrando que ele é na verdade uma espécie de “parasita” (com direito a uma forma carnal semelhante a uma cobra) que entra nas pessoas pela boca e assim assume o controle dos corpos. Ainda nos apresentam outros integrantes da família de Jason e uma regra imbecil na qual “apenas um Voorhees pode matar um Voorhees”, de modo que uma sobrinha nunca antes mencionada passa a ser a esperança de se acabar com o assassino.


Os outros filmes de Jason

Jason-X: O filme 9 praticamente encerrou a “saga” de Jason no cinema, tamanha a decepção dos fãs com o que foi mostrado. Assim, em 2001, houve uma certa tentativa de trazer o assassino de volta, em um contexto diferente. Desse modo, Jason-X foi lançado mostrando um futuro na qual uma equipe de pesquisadores volta à Terra e encontra Jason congelado em uma câmara criogênica. Claro que ele é levado pelos pesquisadores, claro que ele acorda, claro que ele massacra todos eles. Claro que o filme é horrível. Claro que foi um fracasso. Claro que ajudou ainda mais a macular o mito de Jason.

Freddy vs. Jason: Apesar de péssimo, o filme “Jason Vai para o Inferno” causou certo rebuliço nos fãs por conta da citação a outro ícone dos filmes de terror dos anos 80, Freddy Krueger, de A Hora do Pesadelo. Assim, em 2003 foi lançado Freddy vs Jason, um crossover entre os dois slashers mais famosos, mas que se mostrou fraco e com apenas uma única boa sacada, a frase de espanto de Freddy ao constatar a imortalidade do rival: “Por que você não morre?!”. Apesar de aquém do esperado em termos qualitativos, o filme foi um sucesso comercial.

Sexta-Feira 13: Em 2009 a New Line (que havia comprado os direitos da franquia da Paramount) lançou esta mistura de remake com reboot da série, em uma produção de alto nível (para os padrões do gênero), mas cujo resultado foi um filme apenas morno, que não agradou como devia, ainda que – por conta da expectativa e da legião de fãs – bateu recordes de bilheteria para estréias de filmes de terror. Como destaque, uma explicação para as “aparições” de Jason em pontos diferentes de Crystal Lake com extrema rapidez: ele possuía uma rede de túneis no local. Uma seqüência ainda é prometida para um futuro breve.

Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarRalph-144x144 Saiba mais sobre os filmes Sexta-Feira 13 e Jason Voorhees

Ralph Luiz Solera

Escritor e quadrinhista, pai de uma linda padawan, aprecia tanto Marvel quanto DC, tanto Star Wars quanto Star Trek, tanto o Coyote quanto o Papaléguas. Tem fé na escrita, pois a considera a maior invenção do Homem... depois do hot roll e do Van Halen, claro.

3 comments

  • Nemo Nox:

    “talvez para evitar o cada vez maior questionamento de por que raios o FBI não interditava aquele maldito acampamento em que já haviam sido debulhadas mais de 50 pessoas em um intervalo de poucos anos” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rachei o bico

    • Franklin:

      eu ri no “com a perícia com armas brancas mais afiada do que nunca” uahuhauahuahuahuahuah

  • Jonatas:

    Cara, que delícia relembrar esses filmes (toscos) que marcaram minha juventude… como eu amava isso!!!

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top