Maxiverso
CinemaGeralHQs: AnálisesNERD + GEEKBatman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modelo
BatmanVsSuperman03 - BvS

Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modelo

Agora que já vimos os capítulos anteriores e entendemos porque a maioria das pessoas acredita que o Batman venceria uma batalha contra o Superman, e os motivos que levam a editora e seus roteiristas a diminuírem ou ignorarem todo o poder do Homem-de-Aço em várias histórias, podemos, enfim, analisar o confronto que difundiu essa crença equivocada na “vitória” do Cruzado Encapuzado.

Michael Shermer, em seu livro Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas (Why People Believe Weird Things – 1997), onde estuda a tendência das pessoas em acreditar em coisas fantasiosas – ainda que os fatos as desmintam – afirma que:

“Uma coisa provavelmente se revela pseudocientífica quando é apresentada com afirmações grandiosas sobre o seu poder e a sua veracidade, mas é sustentada por uma evidência tão escassa como os dentes de uma galinha. […] quanto mais extraordinária for a afirmação, mais extraordinariamente bem testada deverá ser a sua evidência.”

Ou seja, por mais que queiramos acreditar em determinadas coisas, principalmente com base em afirmações espetaculosas, se as premissas que nos levam a essa crença são falhas, então, mesmo contra nossa vontade, temos que aceitar a impossibilidade do que foi afirmado. E quanto mais incrível é o afirmado, então, mais testadas devem ser as premissas, para que se provem verdadeiras.

BatmanVsSuperman12-CerebroVsForca-300x195 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modeloOra, acreditar que um homem comum (sem poderes) como Bruce Wayne, ainda que muito inteligente e dotado de recursos tecnológicos extraordinários, pode vencer em uma luta a Kal-El, o mais poderoso personagem que não seja uma entidade cósmica do Universo DC Comics, é algo um tanto quanto extraordinário. Assim, precisamos ver se esse fato se sustenta com base em um estudo racional sobre a tão famosa luta entre Batman e Superman de DK, que alicerça quase toda a crença nesse fato.

Quando revemos a batalha mostrada por Frank Miller em O Cavaleiro das Trevas, a mesma mostra-se, diante de uma análise investigativa, um absurdo completo, e jamais poderia ser levada a sério, tamanha a quantidade de incongruências mostradas, de impossibilidades físicas perpetradas e também pelo comportamento nada factível de Kal-El no curso do embate.

O Superman experiente e vivido da história mais parece um calouro que jamais enfrentou uma batalha, comete erros primais, e é incompreensivelmente hesitante, além de não usar seus poderes em nível sequer mediano em nenhum instante, mesmo diante da resistência e das surpresinhas do oponente. E isso mesmo se considerarmos que em momento algum ele objetive matar ou machucar seriamente o Batman.

O desenrolar da luta não faz o menor sentido para quem não é roteirista da história e tem preferências sociopolíticas sobre resultado da mesma, ou então para quem não é, como leitor, um fã inveterado do Cruzado Encapuzado.

De início, Kal tem sua visão sobre-humana que lhe permitiria ver a ligação da armadura do Batman no poste, o que lhe deveria fazer tomar providências a respeito, usando a visão de calor, à distância, por exemplo, para desplugar o adversário, mas ele não toma nenhuma atitude.

Depois, sua super-velocidade deveria ser usada para impedir Bruce de disparar a arma sônica, antes que o mesmo sequer conseguisse levantar totalmente a arma, mas novamente o Azulão parece que não sabe as capacidades que tem, e nada faz. É passivo, humanamente lento e reativo.

BatmanVsSuperman12-Luta2 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modelo

A luta, portanto, que sequer poderia ter começo, no roteiro tendencioso do libertarian Miller, tem início com o Morcego desferindo seus primeiros golpes contra o Superman.

Mas vamos dar um desconto ao nosso amigo Frank Miller, e vamos considerar que Kal-El é inexperiente e tem reações meramente humanas a ponto de deixar a briga chegar ao ponto do disparo sônico. O que acontece depois? Batman parte para um confronto físico, e começa a socar e chutar o Homem-de-Aço.

Muito [ironia mode on] “inteligente” da parte dele, tentar bater em alguém que é mais forte e resistente que sua armadura… [ironia mode off]. Inclusive, durante essa parte da briga, Bruce tem seu capacete arrancado com facilidade pelo Super, o que demonstra como o metal em questão não lhe causa nenhuma dificuldade.

Ora, se o oponente manipula aquele metal como se fosse papelão, e se Kal é muito mais resistente que a liga usada na confecção da armadura, como é que ela não se amassa ou despedaça quando Batman acerta os socos no adversário, com força suficiente para feri-lo e derrubá-lo? Que leis da física Miller usou ali?

(sim, mesmo em HQs, as leis da física devem – e normalmente são – respeitadas… e as violações precisam de argumentos fundamentados para ativar nossa “suspensão de descrença” e nos fazer acreditar nelas)

Fica difícil esquecer esses detalhes e tentar continuar analisando a batalha sem perdermos tempo reparando em [cinismo mode on] outras coisas triviais como a possibilidade real da energia da cidade toda – como diz o próprio Batman – poder estar canalizada na armadura através de alguns poucos fios de bitola fina [cinismo mode off].

BatmanVsSuperman12-Armadura-300x195 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modeloAliás, energia nenhuma na armadura justificaria Bruce conseguir derrubar o Azulão com um soco, a menos que a energia fosse usada para um mecanismo de impulso/propulsão, senão seria o mesmo que um humano normal socar uma parede com muita força.

De novo, que leis da física Miller aplicou ali?

Também fica difícil não nos atermos ao motivo do Homem-Morcego ter deixado pra usar a kryptonita só no fim da briga, ao invés de levá-la consigo na armadura para tê-la à mão quando quisesse… sem falar que Bruce deixou para seu comparsa a “responsa” de, na hora cronometrada, usar a substância, e o mesmo poderia não chegar no local a tempo, poderia ser capturado, ser ferido, morto… afinal, estava sendo caçado e em meio a uma batalha.

A estratégia, tirando a dramaticidade que acrescenta à história, não tem fundamento técnico algum. Não é crível.

Na sequência da luta, Superman finalmente acerta uns golpes e derruba o Cavaleiro das Trevas, mas novamente age de forma inexperiente e incompreensível, deixando seu perigoso oponente livre, leve e solto para se levantar e usar novos truques, como ácido e bombas, ao invés de imobilizá-lo, ou deixá-lo inconsciente.

E nada de super-velocidade sendo usada, novamente… O Homem-de-Aço simplesmente deixa o Morcego fazer o que quer, para apenas reagir. Não dá pra entender. Quer dizer… dá sim, não é Frank Miller?! 😉

A coisa fica ainda menos plausível se considerarmos que antes de partir para a briga, Superman “avisa o presidente que o Batman jamais se renderia”, ou seja, ele sabia que precisava ser duro e subjugar o oponente, pois na base da conversa não teria sucesso. Seu comportamento, portanto, é inexplicável. E, novamente, nem estamos considerando que ele precisava matar o Batman… trata-se apenas de derrotar um oponente fácil.

BatmanVsSuperman12-DK-300x195 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modeloNo momento seguinte, quando Oliver Queen finalmente dispara a flecha (!) com kryptonita, mais uma vez vemos uma atitude impensável para o ser não-entidade mais poderoso da DC: ele não usa nenhum de seus poderes ou capacidades antes da chegada da mesma, e quando ela está ao seu alcance, ele aí sim usa sua super-velocidade para… pegá-la na mão!

Impressionante a falta de sagacidade que Miller imputa ao ex-líder da Liga da Justiça, que passou por batalhas épicas contra seres do porte físico e mental de Darkseid, Imperiex, Despero, Metallo, Brainiac, Sinestro, Lex Luthor e outros.

Depois de mais essa patacoada, aí sim (descontadas ainda algumas ações inverossímeis) podemos aceitar a sequência da briga, que é razoavelmente coerente, com o Superman combalido pela kryptonita sendo – de forma um pouco mais crível – agredido pelo Batman.

Ainda assim o roteirista dá suas escorregadas, já que por mais que o comprimido que Bruce tenha inalado possa ter feito seu coração parar por tanto tempo, não seria capaz de enganar os sentidos do Homem-de-Aço, a despeito dele não ter notado que seu oponente, mesmo com o coração parado, estava vivo. Os mesmos sentidos depois captaram a pulsação do Morcego mesmo com o corpo enterrado e dentro de um caixão. Novamente, muito conveniente.

BatmanVsSuperman51-Realidade2-213x300 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modeloComo vimos, portanto, a tão famosa batalha entre Batman e Superman, usada como parâmetro para todo batfan justificar a idéia de que Bruce Wayne derrotaria Kal-El em uma luta, é total e absolutamente implausível e tem furos abissais no roteiro, que vão desde desrespeito às leis da física quanto à retratação bisonha e extremamente limitada das capacidades e poderes do Homem-de-Aço, o super-herói “normal” mais overpower das HQs.

>>> Update (01/05/15)

Muitos batfans se manifestaram no Facebook a respeito desse capítulo, justificando o resultado da luta pela fraqueza do Superman na época da batalha, por conta da explosão do míssil soviético e da ausência de luz solar causada pela nuvem que cobriu a região.

Primeiro que o problema é que nada indica que o Homem-de-Aço estava tão mal quanto os admiradores do Morcego gostariam. Mais de uma semana havia se passado, ele já tinha se recuperado totalmente na sua compleição física e, caramba, achar que o Superman não voaria para cima das nuvens pelo tempo que fosse preciso para se recarregar chega a ser de uma parcialidade quase inacreditável. E o tempo que durou a luta, sem a exposição aos raios solares, é mínimo… achar que isso o afetaria tão rapidamente e significativamente é o mesmo que achar que, ao acordar de manhã – sem ter se exposto ao sol a noite – o Superman seria uma pessoa normal. Equívoco sem tamanho.

Além disso, o que vale para um tem que valer para o outro. Caso Kal estivesse tão enfraquecido por causa de um evento ocorrido mais de uma semana antes da batalha, Bruce também estaria, já que praticamente ao mesmo tempo escapou por pouco de uma perseguição da SWAT na qual explodiu um edifício onde ele mesmo estava… a coisa foi tão feia que ele foi levado para a Batcaverna onde foi tratado por Alfred (com direito a suturas e um comentário pesado como “Creio que irá sobreviver”). Então, se Superman não estava 100%, Batman estava ainda menos.

BatmanVsSuperman50-Realidade1-269x300 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modeloA imagem da página ao lado mostra como seria uma cena mais “real” do Batman tentando dar um soco em um oponente que tem os sentidos milhares de vezes mais aguçados, além de ser superveloz como o Flash (clique para ampliar). No diálogo entre ambos, nessa página, Kal ainda lembra Bruce sobre o que aconteceria caso ele ficasse parado e se deixasse acertar: o Morcego quebraria todos os ossos da mão.

Ainda vale lembrar que para reagir da maneira como precisava para impedir Bruce de lhe atacar, o Superman não precisaria estar 100%. Nem perto disso, na verdade. Uma parcela razoável de suas capacidades como força e velocidade ainda resolveriam a questão facilmente, se o roteirista fosse isento.

Por fim, mesmo considerando que ele estivesse tão fraco quanto os batfans querem, isso em nada influenciaria as leis da física que Frank Miller distorceu ou ignorou para permitir que momentos chave da batalha acontecessem conforme ele desejava e como precisava, para poder “enganar” seus leitores, fazendo-os crer que tudo aquilo seria possível, o que mostrou-se totalmente implausível, conforme demostrado nesse capítulo.


Confira nos links abaixo os demais capítulos deste estudo:

Parte I – Frank Miller subverte o Batman e muda seu status
Parte II – Liga da Justiça de Grant Morrison perpetua a distorção
Parte III – A DC diminui o Superman e aumenta o Batman
Parte IV – Por que a maioria gosta mais do Homem-Morcego
Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modelo (lendo este)
Parte VI – Exemplos de lutas contra um Homem-de-Aço verossímil
Parte VII – O veredito é: essa luta tem uma vitória fácil e lógica

Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarRalph-144x144 Batman vs Superman Parte V – Analisando a famosa batalha usada como modelo

Ralph Luiz Solera

Escritor e quadrinhista, pai de uma linda padawan, aprecia tanto Marvel quanto DC, tanto Star Wars quanto Star Trek, tanto o Coyote quanto o Papaléguas. Tem fé na escrita, pois a considera a maior invenção do Homem... depois do hot roll e do Van Halen, claro.

32 comments

  • Carlos Cunha:

    a melhor análise já feita sobre essa luta… os fanboys do Morcego piram!

  • Jackson:

    Naum vai comentar da luta do filme? Ela foi baseada em DK… o que vc achou?

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Oi Jackson! A luta do filme foi quase uma transcrição pra tela do que vimos nas HQs, alterando-se os detalhes por conta do roteiro do filme. Assim, vimos alguns dos mesmos erros do Miller, sendo repetidos pelo Snyder: o Superman é “humanamente” lento para reagir e usar suas habilidades… espera as coisas acontecerem para só então agir. Superman iludido por uma smoke granade? Ele poderia ver através da fumaça. Superman tentando fazer Bruce lhe escutar o pedido de “ajuda”? Bastaria ele segurar o Batman e pronto. Mas uma coisa pelo menos Snyder acertou (o que evidencia ainda mais o erro de Miller): ele usou a kryptonita assim que precisou mostrar o Batman batendo no Superman, ou seja, quando a cena entrou na luta propriamente dita, pra justificar o Superman tomar socos e outros golpes, a kryptonita foi a justificativa, de modo que ele escapou do erro de Miller, que retrata o ser não-entidade mais poderoso das HQs tomando socos de um homem comum com uma armadura de metal comum, antes do uso da kryptonita. Snyder também fugiu do absurdo erro da flecha, ainda que tentar pegar a bala também não deixe de ser ridículo, mas pelo menos visualmente faz o público comprar a idéia. Aqui cabe o comentário: no lugar do Snyder e dos executivos da DC, eu faria a mesma coisa, pois a retratação mais plausível da luta seria um tiro no pé das pretensões do filme, então, do ponto de vista editorial (já extensamente explicado no artigo), a Warner e Snyder fizeram o que tinha que ser feito.

  • Italo:

    Aaaaah vcs superfãs nao entendem q nao existe isso de comparar hqs com mundo real? Parem com isso… e tb nao adianta ficar p u t o pq o Batman eh mais popular mesmo, tem mais fãs, eh um personagem mais humano, mais real, as pessoas nao gostam do Superman pq ele eh todo perfeitinho e superpoderoso, eh impossibel alguem ser tao poderoso…

  • Japodeis:

    Sabe, eu sempre achei absurdo alguem aceitar q so pq o Bruce ligou sua armadura numa tomada, ele pode socar o Super… pq poderia? Desde qd energia vira força cinetica sem um meio de propulsao ou de alavanca? Mas fanboy nao quer nem saber…

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Esses aspectos não eram muito levados em conta naquela época… e não havia esse escrutínio de hoje em dias nas obras. Cada um comprava, levava pra casa e lia, e comentava com os amigos e só. Watchmen é uma exceção, quanto a isso. Assim, várias imprecisões científicas passavam batidas.

  • Mathews:

    Sou super fan do Batman , viciados em todas HQ’s e filmes dele. Me acho o fan numero 1 dele Rsrs .
    Mas seria totalmente um absurdo o Batman ganhar do Superman, a Cena do filme “Liga da justiça – guerra” onde o Batman e Lanterna Verde lutam contra o superman, é bem parecido como seria uma luta real entre eles, e mesmo assim o Super não lutando serio, a cena ainda mostra o Super bem tranquilo lutando. nem no Cavaleiro das trevas o super estava lutando pra valer .
    Resumindo, eu acho que a unica forma do Batman chegar perto de ganhar do superman, seria com um pedra de kryptonita grande e usada da melhor maneira possível e inteligente. E mesmo assim se o Super fosse muito burro pra não ver a distancia a kryptonita com visão de Raio X . Mas bem rs

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Olá Mathews, legal seu comentário. De fato, enfrentar o Superman em uma briga é complicado pra qualquer humano, por mais preparado que ele esteja. Por isso a maioria dos roteiristas usa a muleta da kryptonita, já que o confronto físico é interessante do ponto de vista editorial ou, no caso de um filme, do ponto de vista comercial, já que levanta a platéia, gera emoção, etc. Se não fosse por essa necessidade de mostrar uma luta, as HQs ou o filme poderiam simplesmente fazer o Batman ‘vencer’ de forma cerebral, para fugir dos erros que incidem em um confronto físico entre ambos. Abs.

  • Lógica:

    Olha mano respeito sua visão mais admita qque o batman e um humano igual o lex Luthor e muito mais inteligente e vamos admitir que o Clark e meio burrinho né então acredito no intelecto do batman para derrotar o super man acredito que todos temos pontos fracos então o batman sim poderia derrotar o super

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Isaac, eu admito sim que ele é inteligente (mas não sei se é mais inteligente que o Lex…), e eu não acho impossível ele vencer o Superman (inclusive disse isso no artigo e em respostas de vários comentários). O que eu acho implausível é o Batman vencer o Superman ‘na porrada’… ainda mais do jeito mostrado pelo Frank Miller. Aí não… mas na inteligência, sim, é possível. Como exemplo sempre cito a história do Mark Millar (Foice & Martelo) onde o Lex vence o Super apenas com uma frase… sem porrada, sem maluquice implausível, sem kryptonita, sem armadura… só na inteligência. Daquele jeito, é perfeitamente possível. Quanto ao Clark… rs… o que você afirmou não é verdade… ele é muito inteligente (assim como a maioria dos kryptonianos).

    • Cris Dias:

      Nunca foi admitido pela DC que o Bruce é mais inteligente que o Lex Luthor…

    • Rodrigo Barreto:

      Ne!! Se for seguir toda essa logica do que postaram, o Superman seria invencível e imbatível sempre contra qualquer adversario. E a mesma coisa que ver o flash levando socos em uma luta corpo a corpo, sendo que ele e rapido o suficiente pra se desviar de qualquer soco, e a mesma coisa que criticar o Oliver que consegue acertar o Flash com uma flecha, teoricamente seria impossivel, mas partindo do principio que cada um tem suas habilidades e capacidades, entao seria possivel sim. E o Superman e mesmo um dos mais burros justamente pq sempre teve os poderes muito mais facil que os outros…

    • Franco Lucas:

      Mas ele é, Rodrigo Barreto! É aí que entra o escritor, que tem que lidar com isso e transformar a história em algo crível diante das dificuldades que o personagem apresenta. O artigo mostrou que outros escritores, como Mark Millar, conseguem fazer isso muito bem feito!

    • TraSSante Silva:

      O cara entra aqui e chama o Superman de burro… ah não, para vai… lê umas HQs, pesquisa a respeito, aí depois vc emite uma opinião… plz Rodrigo Barreto

    • Gab Garrido:

      Rodrigo, o Flash não tem superaudição, supervisão, etc, ele não tem como saber que a flecha está vindo, mas se ele vê alguém atirar a flecha nele, e se deixa acertar, temos aí claramente um erro de roteiro. Qd um escritor pega um personagem desse, não tem desculpa: tem que lidar com essas questões de forma adequada, senão estará errando.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Rodrigo Barreto, Kal-El é muito inteligente, isso é estabelecido pela DC. E não poderia ser diferente, os kryptonianos são muito inteligentes. Kal “recebeu” seus poderes sim, mas aprendeu a lidar com eles, a os controlar. Aprendeu a usá-los com sabedoria e se forma a não causar impacto negativo na sociedade de uma forma geral. Como a maioria dos heróis que de algum jeito “recebe” os poderes ao invés de treinar e usar equipamentos. Não há parâmetro nenhum na DC para vc supor que ele não seja inteligente.

    • Denzel Villiers:

      Quem falou que o Superman é Burro Rodrigo?, ele é um Kriptoniano, e caso não saiba é uma das raças mais inteligentes e avançadas do Universo DC, superiores a raça humana alias.

      O Superman também não ganha poderes, ele DESCOBRE SEUS poderes, pois eles sempre estiveram lá, o fato de em Krypton eles não possuirem se deve ao fato que Krypton é banhada pelo Sol Vermelho e a Terra é banhada pelo Sol Amarelo, os Kryptonianos são baterias solares e a vermelha descarrega suas celulas e a amarela carrega, eles sempre tiveram seus poderes porem estavam adormecidos por conta do sol.

      Também vale lembrar que ele não DESCOBRIU seus poderes “fácilmente”, foi dificil pra ele ( e ainda é, sempre que ele descobre mais um ), quando ele era criança ele não podia brincar com amigos, não podia participar de jogos, não podia ir em festas, não podia fazer nada justamente por conta disso, seus poderes despertavam e ele tinha que aprender a controla-los, não foi nada fácil e além disso era perigoso, muitas das vezes despertava em locais de risco com publico a volta. Ele teve uma infancia sofrida e um tanto quanto solitária, e isso não afetou só esse lado dele mas também o lado social/psicológico, as outras crianças o via como um estranho, ele sofria preconceito, bulliyng, perseguição e não podia fazer nada contra isso, tinha que conseguir manter o controle pra não machucar ou matar ninguém. Inclusive por conta desses conceitos ele sempre analisa seus oponentes, o que eles conseguem suportar, quais os seus limites para usar a força necessária pra não machuca-los gravemente ou mata-los, ele vive a cada segundo de sua vida fazendo calculos de precisão para não quebrar nada e cada dia que passa é mais complicado pois ele fica mais forte involuntáriamente com seus celulas absorvendo a luz solar, até mesmo o simples fato de caminhar e respirar deve ser calculado, “a cada passo um terremoto, a cada sopro um furacão”, esse é o fardo dele.

      E fazer esses calculos pra todas as ações da vida não é nada fácil pra gente “burra” não é mesmo?, ele é tão burro também que estudou todos os estudos e pesquisas medicas existentes, aperfeiçoou e executou uma cirurgia na Lois Lane em menos de 5 minutos, segundo os medicos era impossivel e iria demorar mais de 10 anos de treinamento para alguém ser capaz de tentar aquilo. E o melhor, ele fez tudo sem nenhum aparelho medico, usou sua visão de raio-x pra ver seu estado, suas unhas pra fazer os cortes e sua visão de calor pra limpa-la dos estilhaços por dentro e cauterizar a abertura, e mal ficou a cicatriz, espantando ainda mais os medicos.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Belo comentário o seu, Denzel! Cheio de referências e citando exemplos do que está sendo argumentado. Bem legal! 🙂

  • Jonathan Bruce Souza:

    cara eu lembro qd vc postou isso no grupo Torre de Gigilancia e o Guilherme Marconi provou que vc estava errado… não lembro o que ele falou mais me lembro que ele provou… então é melhor vc rever isso aí…

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Jonathan eu me lembro tb dessa postagem na Torre de Vigilância do Facebook. Mas ao contrário do que vc falou, as coisas não foram exatamente assim… o Guilherme Marconi não gostou da argumentação do meu artigo e procurou contra-argumentar com base em 3 pilares:

      a) Negando a comparação com o ‘mundo real’. Ele criticou a comparação com a física e outros fatores reais, afirmando que as HQs não são reais então essa comparação não é válida. É um argumento da qual discordo pois trata-se de uma negativa seletiva, visto que quando a comparação com o mundo real é ‘favorável’, aí ela é aceita. Por exemplo: ao dizer que ‘O Superman voa e isso é impossível’, ora, a comparação da impossibilidade é justamente com o ‘mundo real’. Ou seja, quando interessa, ela vale? Ainda bem que o maior nome das HQs de heróis, Stan Lee, deu uma entrevista fazendo essa comparação com o mundo real, ou seja, se ‘The Man’ fez, ninguém pode dizer que ela é incabível. Mais sobre isso no fim do meu comentário.

      b) Invocando outras vitórias do Batman sobre o Superman. Guilherme já tem prontas várias imagens de HQs antigas ou novas, com ‘vitórias’ do Batman sobre o Superman. Isso para ele poder dizer que não foi ‘só com o roteirismo do Frank Miller que o Morcego já venceu o Kryptoniano’. O equívoco aqui está no fato de que os recortes que ele posta são de ‘vitórias’ estratégicas, não de vitórias em confrontos físicos como o mostrado em DK. A maioria é de situações em que o Batman encontra um meio, na base da conversa, de forçar o Superman a fazer algo, seja com ameaças ou convencendo-o de que a ação que ele desejava realizar não deveria ser realizada. O artigo trata de uma ‘luta’ entre ambos e essa parte aqui, especificamente, trata do combate entre os dois em DK.

      c) Invocando absurdos narrativos do Superman. Guilherme também tentou ‘justificar’ os eventuais erros de Miller mostrando histórias em que o Superman faz coisas bizarras. Em um deles, o Superman ‘solta Supermanzinhos’ (!!!), versões pequenas dele próprio, durante um combate. Lembro bem a frase do Guilherme: “O Superman pode soltar Supermanzinhos mas o Batman não pode fazer uma armadura que o derrote” ou algo assim. Mais um equívoco, já que um ato falho (ou vários) não justifica outro. Não é porque alguém escreveu alguma bizarrice do Superman que isso torna os erros de Miller ‘aceitáveis’. Erraram com o Superman (fazem muito isso) e Miller errou com o Batman em DK.

      O post está lá no grupo Torre até hj… basta vc procurar e reler e ver como tudo se desenrolou.

      Como fã do Morcego, Guilherme Marconi defende seu personagem preferido. Eu acho que o fato do Batman não ter como vencer o Superman ‘no braço’ não é nenhum demérito e que uma vitória cerebral é um elogio ao Morcego. Além disso uma vitória não diminui ou aumenta nenhum personagem… o Superman já foi derrotado por outros amigos e inimigos, mas de forma mais plausível. O artigo mostra isso.

      Mas a maior discordância minha em relação a ele é que a suspensão de descrença que usamos ao ler HQs ou ao ver filmes fantasiosos, ainda precisa se basear em regras gerais do mundo real, como a física. A menos que haja alguma explicação que ative nossa suspensão de descrença, constatamos o erro. Bastaria ao Miller inventar algo que transformasse a armadura do Batman em algo ‘maior’ e acreditaríamos naquela luta. Como metal kryptoniano ‘sintético’ (se ele sintetizou kryptonita, porque não um metal?)! Na mini-série ‘Kal’, Lex Luthor combate Superman com uma armadura feita do metal da nave de Kal-El. Olha que legal, quando o roteirista ativa nossa suspensão de descrença de forma inteligente! 🙂

      Enfim, eu e ele pensamos diferente em relação a esse assunto, e cada um argumentou defendendo sua visão.

      Abs

  • Heitor Sávio:

    eu andei investigando esses chamados “batfags” q querem fazer do batman um deus, e mesmo com esse quadrinho do miller e essa frase patetica e hipocrita do batman no final, eu so via um superman tentando c defender de q ele realmente considera uma fraquesa q é a ingenuidade e a amizade q tem pelo batman, mas como hoje em dia é moda dizer batima e goku mitos deuses etc.. e superman inutil cuzao tal… nao adianta quere argumentar, é perda de tempo, deixa os caras serem felizes, afinal das contas cada um enxerga o q quer.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Hj em dia há uma dicotomia de que se fulano ‘gosta’ do Super, não pode gostar do Bat e vice-versa. Fanboyzismo decrépito e babaca. Não curtem HQs, não curtem bons roteiros, curtem ‘o Batman’. A maioria é de leitores jovens que pouco conhecem de HQ e assistiram muitas animações, nada sabem da história das HQs nem sobre escrita, roteiro, editorialismo, etc. Estão ‘acabando’ com as HQs rs… qd essa onda de filmes de super heróis passar, já há previsão de que o fanboyzismo pode falir o segmento… infelizmente.

  • Cleiton Alves:

    Pois é. Diante da lógica científica. Somos todos idiotas em acreditar em seres de outro planeta que vem aqui pra terra e podem voar como um foguete. Como somos tolos. Isso é tão anti-científico. HAHAHAHA. Podem chorar amantes do Supergay. Ele vai apanhar. E todos vocês vão sangrar. Ralph Solera, você está incluso. Chorem, CHOrem, CHOREEEMM!!!

    • David Etrama Di Raizel:

      As pessoas tem que entender uma coisa muito simples, dentro de cada mundo ficticio existem suas proprias regras, e essas regras que fundamentam as logicas usadas, no caso da materia, varias e varias vezes vimos o que acontece quando locomotivas ou caminhoes ou carros normais embatem contra o Superman, geralmente os veiculos ficam todos danificados na parte do embate, então o que o autor do texto esta falando nem precisa ser levado pra logica cientifica normal do mundo real, mais sim pra logica cientifica do mundo em questão.

      ou voce acha que um velhote que nem o Bruce nessa historia conseguiria escalar um predio com a facilidade que faz.
      o fato é se um comboio embante contra o superman e fica danificado na parte do embate como raios uma armadura faz o mesmo varias e varias vezes e não quebra, da pra entender agora?

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      David Etrama Di Raizel nossa suspensão de descrença precisa de paradigmas estabelecidos pelo autor ou pela editora pra aceitar um fato ‘anormal’. Ex: o Superman voa. Isso é fisicamente impossível, mas ativamos a suspensão da descrença porque a DC oficializa isso com suas explicações próprias. No caso da armadura, bastava o Bruce ter dito que a fez de metal kryptoniano (como Luthor na mini-série Kal) ou de uma liga diferente ou que desse uma technobabble qualquer, e ficaria aceitável. Como retratado, porém, é difícil de comprar a idéia. Outras armaduras e tecnologias da DC sempre possuem sua technobabble pra atuar nesse sentido, mas no caso do Miller, digamos que esse universo DC mais complexo ainda estava se criando, de modo que ele não se preocupou com isso. Ainda há o problema do Batman dar socos no Superman… além de burrice inaceitável pra alguém com o intelecto do Bruce, não faz sentido do ponto de vista físico tb. Vejo o Batman derrotando o Superman em um caso como Luthor em Foice & Martelo: sem porradaria, só na inteligência. Ficaria mais crível do que se preparar por anos pra enfrentar o Superman no braço. Ninguém escreve uma história, mesmo um sci-fi ou HQ, pra ‘errar’ nas leis da física. Todo mundo tenta fazer algo verossímel e real. Quando esse tipo de coisa de DK acontece, é erro mesmo. E Cleiton, dá pra curtir HQs sem precisar chorar por um ou outro personagem rs…

  • Andre Silva:

    Em Batman – Silêncio, o Bruce vence o Super-homem com um novo show de estratégia

    • David Etrama Di Raizel:

      Eu sempre acho muito engraçado, quando as pessoas citam a Saga silencio, pra tentar justificar as vitorias do Batman. so me faz rir, serio.

      1- Batman não vence a Luta, achar o contrario é ser ridiculamente fanboy e deixar de lado todo o potencial que a massa cincenta nos oferece, (a luta termina com Superman segurando um carro pronto pra atirar no Batman, quando ele sai do controle que estava pra salvar Lois.

      2- O proprio Batman deixxa bem claro que ele não tinha chances de vitoria durante a luta tudo o que ele poderia fazer e estava fazendo era ganhar tempo.

      eu gosto do Batman de verdade, mas achar que ele pode vencer o Superman sem este ser nerfado, ou muito mal representado é meio ridiculo, pois quem conhece Superman sabe das capacidades que ele tem, e um escritor 100% insento de favoritismo duvido que consiga bolar uma historia onde Batman sai vitoriaso, sem nenhuma deturpação das capacidades que os 2 ppersonagens apresentam

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      David Etrama Di Raizel a vantagem de Silêncio é justamente que o Batman admite não poder vencer o Superman. Todas suas ações são meras maneiras de enrolar e ganhar tempo. Mas é bem escrita e bastante verossímel nessa questão do embate entre os dois. Claro que os fanboys deturpam as coisas rsrs… pra maioria, Silêncio é um novo DK rsrs… Ah, André, temos vários exemplos melhores que Silêncio pra mostrar as capacidades estratégicas do Batman.

  • Sergio Favero:

    Meus personagens preferidos dos quadrinhos são Batman e Wolverine, e eu não gosto muito do Superman. Mesmo assim, se quisesse mesmo, é óbvio que o Superman esmagaria o Batman e toda sua inteligência, dinheiro e tecnologia, como se ele fosse uma mísera formiga.

    Sobre a história, pelo que eu entendi, o Superman não quis, realmente, acabar com o Batman, se ele quisesse mesmo, se o Batman fosse um inimigo que o Super realmente quisesse destruir, faria com facilidade. Mas ele não quis. Ponto. Independente de qualquer outra coisa, fica claro que o homem de aço apanhou do Batman por que foi negligente quase que propositalmente. É quase como um irmão maior e mais forte, “perdendo” numa “lutinha” com o irmão menor e mais fraco, só por que não queria realmente mostrar toda sua força, pois ganharia facilmente.

    Além disso, falando dos golpes que o Batman acertou, a ausência de luz solar sempre foi algo ruim para o Superman, por mais que ele possa ter ido se recarregar acima das nuvens. O kryptoniano não estava 100% e na HQ mostra isso quando o Batman testa os mísseis no Super, quando esse tenta usar seu poder de visão raio x. O homem de aço reage de forma mais lenta e isso demonstra que ele não está 100%. E ainda tem a hora que ele tem sangramento nasal, se o Super tivesse 100%, não teria isso.

    Sem contar a flecha de kriptonita que é usada, e já sabemos o quanto essa substância tem um efeito devastador no homem de aço, fazendo ele ficar suscetível a situações semelhantes a de um humano normal. Então, se tu juntar a questão da falta de energia solar, kriptonita e, principalmente, a falta de vontade do Super de aniquilar o Batman, devido a amizade e bondade do Super, pergunto: Por que tantas críticas e ironias raivosas a uma história tão boa? Só por que teu ídolo “perdeu” a luta?

    E outra, o Batman apanha pra caramba, e pior, em poucos segundos de luta! Mesmo com o Super mais fraco e tudo mais, o Frank Miller já tinha feito o homem morcego ter seu capacete arrancado, ter seu punho esmagado, costelas quebradas e, pior de tudo, o próprio Batman já sabia que era uma luta perdida, tanto que usou a “morte” dele próprio para finalizar o embate e “fugir” de uma derrota anunciada.

    Cara, acho que é um erro teu achar que essa luta foi pra valer… não foi. Foi uma luta onde o Batman queria dar um jeito no certinho do Superman que tinha se “vendido” ao sistema, tinha se “vendido” ao governo dos EUA. O Clark é todo certinho, todo frescão, todo bom moço. Isso incomodava o Batman, tanto que ele diz: “Já passou da hora de você aprender o que é ser um homem!” E o Clark só chegou a se ferir por que não esperava que o Bruce realmente fosse tentar fazer algo contra ele. O próprio Batman sabia que não iria ganhar. Isso por que praticamente ninguém pode ganhar do Superman. Superman é apelão, todos sabem disso.

    Só que o maior erro que eu acho tu cometeu nesse texto foi no momento que tu escreve “Frankzinho” e usa de tanta ironia em relação a ele, acho que tu desrespeita um grande autor de HQs. Tudo bem cada um ter sua crítica e sua opinião, mas chegar a isso, parece que tu é um fanboy do Super e não gostou de ver ele perdendo, dai tenta diminuir o Frank Miller por que ele escreveu a história, e uma história de grande sucesso. Se fosse mais imparcial, seria bem melhor. Tu querer diminuir o Frank Miller, é o mesmo que o ROBIN querer enfrentar o Superman de igual para igual. 😉

    Na boa, tenta ser mais imparcial da próxima vez.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Belo comentário, Sérgio Favero. Gostei. Agora vamos às considerações: 1) Difícil acreditar que Kal ‘perdeu quase que propositalmente’. A luta é o fim de um segmento de ações que culminaram no embate, de modo que ele foi pro combate já pra por um fim nisso. Se ele agiu assim de forma proposital, tudo perde o sentido. Corroborando isso, ele afirma ao presidente, antes de partir, que seria um combate ‘definitivo’. 2) A ausência de luz solar por algumas horas não diminui as capacidades do Superman, isso é estabelecido pela DC. A kryptonita só o atingiu no final do combate, depois da maioria dos erros de roteiro terem sido cometidos. 10% de Superman é ainda assim muito acima do que ele precisa pra ‘sair na porrada’ com um humano. E se ele não estava 100%, Bat tb não estava, conforme explicado no texto. Enfim, no começo da luta, considerando a força e a agilidade do Superman, o Bruce não conseguiria sequer ativar o disparo sônico que causou o sangramento. 3) Superman não é meu ídolo rs… 4) A luta foi pra valer até a simulação de enfarte, o que mostra o erro do Frank. Qt ao motivo dela ocorrer, sim, vc acertou, o Bruce queria que o Kal abrisse os olhos e visse que não podia continuar sendo marionete do governo. 5) Fank Miller é um dos maiores quadrinhistas da História, e eu disse claramente que o artigo não é um ‘ataque ad hominem’, ou seja, algo que pretende rebaixá-lo ou diminuí-lo para assim criticar a história. Eu jamais sequer cogitaria fazer isso. A crítica é com relação à manipulação que ele fez no roteiro, usando técnicas para disfarçar um manifesto político (de extrema direita), atribuindo aos personagens as características político-partidárias que lhe interessava, distorcendo ambos. Nem o Superman é o que ele retratou nem o Batman é. O verdadeiro fã do Batman não aceita essa visão sádica e brutal do Homem Morcego. O Batman é muito melhor que isso. Ter apelado para técnicas subliminares no roteiro para angariar popularidade com essas distorções é um erro ‘moral’ (e olha que estamos falando de quadrinhos de super heróis rsrsrs) que não perdôo no Miller. Mas essa minha visão não é inédita: no mundo todo, até nos EUA, fãs do Batman e do Superman publicam sempre artigos parecidos, condenando o roteiro tendencioso e equivocado de DK, nesse sentido, o que não muda o status da obra como um divisor de águas nas HQs. 6) O texto é uma ‘tese’. Não há como ser imparcial. 🙂 Eu discordo da abordagem do escritor e deixo isso bem claro. Discordo da sua manipulação em personagens ícones da História das HQs e argumento em cima disso. O artigo não é um review de DK, é uma crítica. 🙂 Abraço!

    • Sergio Favero:

      Eu ainda acho que o Super não quis matar o Batman, mesmo que ele tenha dito isso ou aquilo para o presidente. No final, o Super é bom demais para fazer algo assim. E forte demais para aguentar toda porrada que o Batman fosse dar, mesmo estando 10%, como tu disse. Então, o Clark poderia adiar até o ultimo momento para dar um golpe final. Mas antes que esse momento chegasse, o Batman “se matou”.

      Acho que o Clark tb sabia, no fundo, que esse sistema que “controlava ” ele, era algo falso. Ele devia saber que, por mais que estivesse do lado dos EUA, as autoridades americanas temiam ele, caso resolvesse se voltar contra eles.

      E eu não sei não, mas acho que essa visão política de DK é um pouco exagerada, não acha? Sei lá… não duvido que o Frank Miller tenha suas visões políticas e eu não sei a fundo a história dele, mas acho que é um pouco demais dizer que ele quis colocar tanta politica numa história em quadrinhos.

      Hoje em dia, depois de já ter sido lançada, de ja ter feito todo o sucesso, angariado adoradores e críticos, é fácil criar mil e uma especulações sobre segundas intenções do autor. Mas e na hora, será mesmo que o autor tinha todo esse pensamento profundo sobre política, ou será que ele só queria dar uma lição de moral no Superman? (lição de moral, pois surra seria impossível)

      Abraço

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Solera:

      Sergio Favero a grande questão que confunde as pessoas, creio eu, é justamente achar que o Superman agiu com mão leve propositalmente porque “ele não mataria o Batman”. Esse é o ponto, e eu explico o porque: ele não precisaria ‘matar’ o Morcego, para poder encerrar a questão. Ele poderia apenas nocauteá-lo. Na História, ele decepou membros de outro antigo aliado, pq julgou necessário. Acha que, quem faz isso, hesitaria em botar o Bruce pra dormir? Eu creio que não, pq não faz sentido dentro do que o Miller mostrou. Qt às ideologias políticas dele, leia o Capítulo 1 do artigo (http://www.nosblogamos.com.br/blog/2015/01/27/batman-vs-superman-parte-frank-miller-subverte-o-batman-e-o-faz-ser-maior-que-e-realmente/) e vc verá como ele é um militante político ferrenho nos EUA, daquele que vai a passeatas inclusive, e é um extremista de direita, xenófobo e ultra-conservador. Sabendo disso, fica difícil de acreditar que ele não transmitiu esses conceitos para o roteiro, e que tudo seria mera coincidência. E, como eu disse, essa visão não é exclusividade minha. Recomendo esse ótimo texto do ótimo Quadrinheiros (http://quadrinheiros.com/2013/03/09/destruindo-classicos-o-cavaleiro-das-trevas-de-frank-miller-parte-1-o-fascismo-do-cavaleiro-das-trevas/). Em inglês vc tb acha outras críticas ao tom político de DK, via Google. 🙂 Ah, qt ao seu outro comentário, sabe, eu acho que a maneira como me referi a ele pode realmente dar a impressão de que estou desdenhando do Miller (o que não pretendi fazer)… vou alterar a maneira como me referi a ele em algumas partes rs… abraço.

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top