Maxiverso
CINEMANERD + GEEKPiores Filmes do MundoSci-FiPiores filmes do mundo: Enigma do Horizonte (Event Horizon)
EventHorizon

Piores filmes do mundo: Enigma do Horizonte (Event Horizon)

Enigma do Horizonte

Nome original: Event Horizon
Direção: Paul W. S. Anderson
Roteiro: Phillip Eisner
Atores principais: Lauence Fishburne, Sam Neil
Produção: EUA/Inglaterra – 1997
Duração: 100 minutos
Gênero: Terror, ficção científica

Paramount Pictures

Cotação – Piores Filmes do Mundo:
PFM-2Flop Piores filmes do mundo: Enigma do Horizonte (Event Horizon)

> Crítica (com spoilers):

A maioria dos filmes da coluna “Piores Filmes do Mundo” são trashes assumidamente ruins, e, quase sempre, assim identificados pelo público. O Enigma do Horizonte não: é um filme que muita gente que é fã de sci-fi e, principalmente, terror, acha que é “um bom filme”.

Absurdo.

Um mote realmente interessante (uma nave movida a “reator de buraco negro” reaparece após vários anos sumida e uma missão é enviada para investigar o ocorrido), atores do quilate de Sam Neil e Laurence Fishburne e uma produção de qualidade realmente induzem a erro espectadores que já teriam uma pré-disposição em achar bom algo que, tirada a camada superficial de aparência aceitável, mostra-se a verdade uma obra péssima em todos os quesitos, inclusive nos técnicos.

O detalhe é que o filme foi estraçalhado pela crítica no lançamento e foi praticamente ignorado pelo público, tendo uma bilheteria patética, que não chegou à metade do seu orçamento, mas com o Facebook, no entanto, tem gente que está propagando que “é um ótimo filme” pois realmente considera a obra boa, a despeito das péssimas avaliações em sites como IMDb e Rotten Tomatoes (que subiram justamente com o auxílio dessa nova leva de fãs, oriundos das redes sociais).

Nada que uma roupagem bem produzida não consiga disfarçar, heim…

Da crítica de Marcus Augusto Lamim no Boca do Inferno: “[…] nem mesmo lidando com o gore o filme se sustenta, já que muito pouco impressiona. Pior ainda é quando o filme se leva excessivamente a sério, mesmo com seu atabalhoado roteiro, provocando o riso involuntário em algumas cenas. […] Destaque para o excesso de frases de efeito que rolam soltas durante a trama, a hilária troca de socos entre Miller e Pinhead-Weir no terceiro ato, e a trilha sonora eletrônica de Michael Kamen, que em vez de auxiliar na criação do suspense, remete mais a telefilmes baratos. Aliás, de todos os defeitos, o mais imperdoável deles é justamente esse. O longa não constrói minimamente o clima de suspense ou terror, provavelmente devido à direção frouxa de Anderson, que acreditou provavelmente estar dirigindo uma adaptação de videogame, com as quais, aliás, ficou acostumado.

A história gira em torno da Event Horizont, primeira nave capaz de viagens interestelares. Em sua missão inaugural, ela “desaparece” e não é vista por vários anos, até que ressurge, mas ninguém da tripulação se comunica com a Terra. Uma missão então é enviada para descobrir o que aconteceu, chefiada por alguém ligado ao projeto original da nave. Quando a encontram, descobrem que a tripulação foi massacrada por alguma entidade maléfica, com direito a pistas que levam à solução e até uma “mensagem” (um aviso) expositiva sobre o ocorrido, recurso normal de roteiros ruins.

Como foi dito no começo, o mote é interessante, e poderia produzir um bom filme, realmente. Porém o que vemos em O Enigma do Horizonte é um amontoado de clichês de filmes ruins de terror, com roupagem de ficção científica.

Está tudo lá, confira:

a) a missão de resgate encontra a Event Horizont e consegue a proeza de se complicar e precisar ficar na nave por mais tempo do que devia;

b) a tripulação comete ato estúpido atrás de ato estúpido, caindo em armadilhas mentais que até pré-adolescentes identificariam, ficando sozinhos mesmo diante de evidentes contrariedades e tomando decisões inacreditavelmente idiotas sempre que necessário;

c) vemos aqui o velho e batido erro da força maligna que se manifesta sempre aos poucos até que no final dá a cara abertamente, como se soubesse que está em um (pretenso) filme de terror/suspense e deixasse o “melhor” pro final, ao invés de agir organicamente e de forma lógica e equiforme;

d) para preencher o filme e (tentar) criar picos de roteiro, as mortes ocorrem em intervalos necessários, sempre um a um, até que se chegue ao protagonista.

Mas estes são apenas os problemas estruturais. O filme inteiro é um caldeirão de coisas estúpidas disfarçadas de “bacanas”, com a ajuda de uma roupagem digna (a única coisa que merece elogio é o design de produção, bastante competente, ainda que nada explique um engenheiro criar um design “macabro” para uma espaçonave).

O maior exemplo é a cena em que é necessário se explicar a astronautas gabaritados (que são engenheiros e/ou físicos teóricos) o que é um wormhole, fazendo inclusive aquela “brincadeira” que alguns professores fazem na 8ª série do primário, dobrando uma folha para ilustrar o conceito de “menor distância entre dois pontos”. Chega a ser constrangedor.

Para quem não se atenta a esses “detalhes” (seria o mesmo que, em um filme sobre culinária, alguém precisasse explicar a um mestre gourmet o que é empanar um bife), então o filme deve parecer realmente bom.

E o que falar do “método de separação dos módulos” da nave? Não… melhor não falar nada, mas a pessoa que pensou naquilo (“Opa, o estúdio quer umas explosões, vamos incluir uma aqui”) merece ser transportada para o mesmo “destino” que a Event Horizon foi, só por conta disso.

Da crítica do Cinedie: “A utilização do cenário de ficção científica para entregar um filme de horror poderia trazer resultados estimulantes, caso houvesse a mínima fagulha de imaginação que ateasse o lamaçal de ideias em segunda mão esparramadas no guião de Philip […]. Quando se finaliza a ‘explicação’ da premissa e se entra no modo ‘filme de terror standartizado’, perguntamo-nos para quê tanto trabalho. Para mais um filme de terror sofrível e déjà vú, não valia a pena arrastar tanto o espectador. Event Horizon lembra mais um filme de ‘Alan Smithee’ (Kevin “eu não deixo o meu nome nisso” Yagher. Este par de filmes poderá ser o exemplo máximo de um sub-sub-gênero que poderia ser apelidado de ‘shit floats in space’.”

Como consolação fica o fato de que o corte original tinha quase 30 minutos a mais que a versão liberada, e, dizem alguns, esse tempo poderia fazer da obra algo melhor. Infelizmente nunca saberemos, já que não há previsão nenhuma de se lançar a “versão do diretor”, com cenas que ficaram de fora da versão final oficial.

> Ficha do filme no IMDb

PFM-Cotacao-300x211 Piores filmes do mundo: Enigma do Horizonte (Event Horizon)

Avaliação
The following two tabs change content below.
AvatarRalph-144x144 Piores filmes do mundo: Enigma do Horizonte (Event Horizon)

Ralph Luiz Solera

Escritor e quadrinhista, pai de uma linda padawan, aprecia tanto Marvel quanto DC, tanto Star Wars quanto Star Trek, tanto o Coyote quanto o Papaléguas. Tem fé na escrita, pois a considera a maior invenção do Homem... depois do hot roll e do Van Halen, claro.

50 comments

  • Bocuda:

    nossa, agora me surpreendi, tem gente que DEFENDE esse filme!!! PQP

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      tem… muita gente hahaha… confundem “eu gostei” com “é bom”…

  • Pocoyo:

    Filme fraquissimo. Que vem ganhando adeptos nesses tempos de Facebookização (idiotização) onde otarios que se acham entendidos em ciname destilam pseudo opinioes como”elementos de Lovecraft” e “filmaço de terror” levando outros incautos nessa onda estupida de nao conseguirem analisar adequadamente um filme e se deixarem levar por uma ou outra ceninha graficamente legal. Tempos sombrios esses.

  • Mina:

    Filminho de merd* cheio de fãs que acham que qualquer merd* com sangue e conceitos “intelectuais” é bom só por isso. RIP bom cinema…

  • Paty Lorinha:

    porcaria de filme… se vc curtiu, admita que curtiu um filme b o s t * e pronto, nao tem que ficar defendendo, dizendo que é bom e bla bla bla, mimimi, bla bla bla, mimimi… é uma porcaria sim

  • Totti:

    lixo de filme… vc classificou como ruim quando na verdade é um lixo execravel

    • Marfim:

      de fato, o filme é muito ruim… mas o que me espantou é que tem gente que defende e acha “ótimo”… incrível como tem gente capaz de gostar de qualquer tranqueira que passa no cinema

  • Nerez:

    perdi duas horas da minha vida assistindo essa m e r d a pq um amigo me disse que era “o melhor filme de terror que ele tinha visto na vida” e tive que mandar ele pra PQP varias vezes depois da pior dica de filme que alguem me deu na vida

  • Natalia Santos:

    filme ruim sim… e mesmo assim vc fã mimizento pode gostar dele tá? mas ele continua sendo ruim…

  • Andressa:

    esse filme é como funk… por mais podre que seja, sempre terá alguém se doendo por ele, dizendo que é bom… ah, como é triste ver gente com tão pouca noção de qualidade…

  • Solange Andrade:

    odeio esse filme… péssimo!

  • Tati:

    filme bisonho… incrível como sempre tem quem goste de algo por pior que seja

  • Boss:

    o ser humano me espanta rs me espanta por gostar dessa meleca de filme, mas daí blz é gosto e gosto não se discute (se discute sim, mas pra fins demagógicos, dexa pra la kkk), mas dae dizer que essa porcaria é BOA chega a ser o cúmulo… dói na alma… ainda mais pro cara que se diz fã de terror e até de Lovecraft… vergonha alheia

  • Marcelo Lima:

    Geanfrancasso chegou falando grosso, saiu chorando kkk humilhado

  • Otavio:

    Acho esse filme muito ruim… incrivel como ele tem fãs… pior q eles seo chatos demais

  • Igor Soares:

    esse filme é HOR-RÍ-VEL

  • André:

    odeio esse lixo

  • Lidiane:

    ei eu adoro esse filme… ok, ele é toscão sim kkkkkk mas mesmo assim eu pago um pau nele… tenho em DVD e assisto as vezes, meu namorado tb curte sim

  • Laizinha:

    hahahahahaha qd vi o link no grupo já adivinhei que ia ter um monte de mongol aki defendendo esse filme horrivel… bando de manezada

    • Marlon Marconi:

      eu tb kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Geanfranco:

    Críticas, críticas e críticas… Não avalio filmes pelas críticas. Às vezes, mesmo o filme sendo considerado bom pela crítica, porém, no meu modo de ver não. Por isso, prefiro assistir e se gostar indico. Considere o Enigma de Outro Mundo, que não teve boa crítica e nem fora muito assistido. Mas gostei muito e muito do filme. Da mesma forma, esse teve um bom prestígio na minha avaliação. O que importa para mim é o conteúdo do filme e eu gostei.

    • José Marques:

      Vc gostou do filme. Ponto. Continua sendo um filme ruim. Ponto. Vc DEVE assistir o filme que te interessa, mesmo que a crítica diga que é ruim, justamente pq vc pode gostar do filme, independente dele ter falhas técnicas. No final vc falou algo sensato “o que importa é vc gostar ou não”… isso é verdade. Se vc gostou, não importa se é ruim. Eu gostei de BvS, mas admito que é um filme beeeem mais ou menos. Mesmo assim curti. Já por outro lado não gostei de Deadpool, que é um filme mais acertadinho tecnicamente. To nem ai: não gostei.

  • Franklin Araújo:

    Digamos que vocês entendidos me falem que filme “X” é bom e que a critica fala maravilhas, eu vejo o filme e não gosto, o que vale mais? e daí se a critica falou algo? Para mim esse filme é bom, e minha opinião dentre todas é a que mais me importa.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      Franklin, tudo bom? Como já dito, vc pode não gostar de um filme considerado “bom”, da mesma maneira que pode adorar um filme considerado “ruim”. Lembrando que o fato de vc gostar de um filme não o “transforma” em um bom filme, apenas mostra que vc gosta dele. Mas, como tb já dito, o papel da crítica é fundamentar suas opiniões em cima de embasamento técnico, e te dar uma visão técnica, portanto, em cima de determinada obra, para enriquecer sua experiência e, por que não, te fazer evoluir como espectador, como amante da sétima arte. Abraço!

  • DS9/BSG:

    Os caros colegas cinéfilos tem esse costume de esquecer que filmes são vivenciados de duas formas ou formas diferentes.

    Pelo critério técnico e pelo sentimento.

    Para a maioria esmagadora das pessoas que assistem filmes e são essas pessoas que sustentam a indústria do cinema pelo mundo, seja indo ao cinema assistir Transformers, comprando dvd, assistindo filme na tv aberta, a cabo, pirata, streaming… filme é algo pessoal, é analisado pelo sentimento que ele provoca e não se ele preenche critérios técnicos e é assim pelo menos desde o surgimento do blockbuster.

    Às vezes essas duas posições se unem, mas em geral são bem separadas.

    Dr. Estranho não tem o melhor roteiro do mundo, os melhores diálogos e mesmo assim as pessoas de modo geral gostaram e um dos critérios a favor foi o visual.
    Um filme é uma obra áudio visual, gostar de um filme pelo visual não deveria ser considerado errado.

    Se o filme consegue dar sustos, tem um clima tenso, fez a pessoa se importar com os personagens, o filme cumpriu seu objetivo… e isso é algo pessoal… quem decide o nível de intensidade do filme é a pessoa, tem gente que adora levar sustos num filme, tem gente que gosta de uma construção mais elaborada do clima, mas julgar a pessoa pelo seu nível de exigência da qualidade do susto, é muita prepotência. Nem todo mundo adora O Iluminado ou Babadock.

    Não adianta querer citar “as regras de um bom filme”, as pessoas não ficam com um caderninho dando tchek nos acertos do filme. Ele flui por elas e o resultado é subjetivo.

    Chicago, A bruxa e 2001 são bons filmes?
    Segundo os critérios estabelecidos pelo cinema são bons filmes e 2001 é uma obra prima, mas tem muita gente que acha 2001um filme ruim, mesmo sabendo da sua importância para o cinema e Chicago é mais ignorado que O Enigma do Horizonte.

    A questão do filme explicar para os membros da tripulação o que é um buraco de minhoca é válido, se analisarmos que a explicação é para o público em geral e nem todo mundo sabe o que é um buraco de minhoca, a explicação não é para os pilotos, o filme é para o grande público e eles precisam saber… interessante que o Nolan faz isso sempre e é adorado.

    Sim, Enigma do Horizonte é um bom filme para quem gostou dele.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      Olá DS9/BSG, gostei do comentário e do seu ponto de vista sobre o assunto. Eu penso um pouco diferente… eu acho que qd não gostamos de um filme “sabidamente” bom tecnicamente, não devemos dizer que aquele filme é ruim, e sim que nós não gostamos dele. O fato de gostarmos de um filme “ruim” não torna ele bom, assim como qd alguém não gosta de 2001 e Chicago, isso não faz aqueles filmes serem “ruins”. Eu não gosto das músicas do Caetano e nem do Chico Buarque, mas é consenso que tecnicamente elas são muito boas. O fato de eu não gostar delas não muda isso. Assim como o fato de eu gostar de Engenheiros do Hawaii não torna as músicas da banda melhores, tecnicamente, nem oblitera as rimas estrambólicas do Gessinger, com palavras aleatórias colocadas nas músicas apenas para esse fim. Mesmo não sendo muito boas as músicas deles, eu curto bastante. Com filmes ocorre algo semelhante: podemos nos divertir com filmes que não são bons. Não há problema nenhum nisso. Eu adoro os filmes da série Sexta-Feira 13, mesmo sabendo que são quase todos (com exceção do 6) terríveis, tecnicamente. A diferença é que eu sei e assumo que são ruins. Enigma do Horizonte é um filme ruim, mas se vc gosta, nenhum problema disso. Só que o fato de gostar dele, não o torna bom… quando vc diz que ele é um bom filme para quem gostou dele, na verdade está dizendo isso, que quem gostou dele, gostou de um filme ruim. Nenhum problema. Eu acho que as pessoas confundem essas duas coisas e muitas se ofendem ao ver alguém dizer que algo que elas gostam não é tão bom quanto elas acham que é… mas isso é algo desimportante, elas não deviam ficar incomodadas com isso. Milhões de pessoas amam os filmes do Michael Bay – principalmente Transformers – mas poucos admitem que são ruins tecnicamente, não sei porque… quando alguém faz um texto como esse que eu fiz, a intenção não é fazer com que vc não goste mais desse filme, é mostrar o porque esse filme é ruim, com argumentos técnicos. Como em toda arte, o cinema pode e deve ser entendido pelas pessoas que dele gostam e nada impede – na verdade é inerente ao ser humano e muito louvável – que vc com o tempo aperfeiçoe seu conhecimento técnico dessa arte (e de todas as outras) e tenha noção melhor do que é bom e do que é ruim. Muitos filmes que eu achava ótimos quando mais jovem, hoje eu acho terríveis, pq hoje conheço um pouquinho mais da parte técnica do cinema, o que me dá mais fundamento para apreciar ou não uma obra. E mesmo assim continuo gostando de Sexta-Feira 13 rsrs… ninguém precisa assistir um filme dando check nos itens técnicos que a obra atendeu ou não, mas nada impede que vc cresça como espectador (se quiser, claro, e se não quiser, tb não há problema) e conheça mais os aspectos técnicos inerentes ao um filme e assim possa apreciar mais o que assiste, ou não, pois como vc disse, isso é muito pessoal (meu exemplo com a saga de Jason já ilustra isso). Não há “julgamento de ninguém pelo nível de exigência de susto”, como vc disse, o que há é uma inquestionável deficiência técnica em diversos aspectos de uma obra que a impedem de ser qualificada como boa, independente do quanto se goste dela e do quanto ela sirva a contento para determinadas pessoas. Por mais que eu adore os já exaustivamente citados filmes de Sexta-Feira 13, jamais vou dizer que são “bons”. São tosqueiras bisonhas… tosqueiras que eu adoro hahahaha. Qt ao que vc falou do Nolan, discordo… pode ver as críticas do Omelete e do Pablo Vilhaça, por exemplo, elas apontam justamente os diálogos expositivos como um dos (poucos) problemas de Interestelar… apesar de que naquele filme, Nolan lidou muito melhor com isso, fazendo muito mais verossímil suas cenas a respeito do buraco de minhoca, não ficou algo tão “na caruda” como em Enigma… Cabe ao diretor ou roteirista serem competentes o suficiente para exporem ao grande público informações como o que é um wormhole sem que isso gere uma cena como a de Enigma, onde se explica de forma infantil a engenheiros e astronautas o que é esse fenômeno. Espero que tenha entendido meu ponto. Abraço!

    • José Marques:

      Ralph Solera deu aulinha pro DS9/BSG… muito bom rsrs

    • Geanfranco:

      DS9/BSG, o Ralph, assim como outros ignorantes que fazem comentários tosco não querem entender que o critério e avaliação de cada um que gosta ou não, é independente e cabe a cada expressar sua opinião. Sendo assim, tentam nos impor suas opiniões que de nada adianta. É o mesmo que acontece com outras coisas, como a música, por exemplo. Muitos gostam de Mozart e outros da música clássica. Outros, porém, gostam de Rock pesado e outros de MPB. Gente o que importa é o gosto e não a técnica, nem mesmo se ele recebeu um prêmio por isso ou não. É o gosto de cada um que importa. O Ralph vem defendendo sua tese contra o filme e sufocando aqueles que admiram esse filme (EH).
      Viva e deixa viver. Se alguém gostou, deixa. Se não gostou também, fica em paz. O Brazil tem muita coisa para nos preocuparmos e as pessoas estão preocupadas com o critério de quem gostou do filme. Eu gostei e indico que quem tem personalidade, assista para verificar. Não cabe a um blogueiro o papel de desmitificar ou diminuir o valor do filme. Existe filmes para todo gosto, assim como na música, na leitura e em qualquer coisa na vida vamos encontrar gostos variados. Nem todo mundo gosta de bolo de chocolate. Imagine se ficarmos avaliando o bolo de chocolate tecnicamente? “Olhe, esse bolo não tem técnica, esse bolo é tosco, medonho!” O importante vai ser se eu gosta quando apreciar o bolo. Mas, não fiquem chamado de porcaria um filme ou criticando quem gostou. As vezes, quem critica, assiste merda e quer que outros gostem.
      Meu gosto é meu gosto e o filme eu gostei independentemente se alguém não gostou. Sejam felizes e deixem os outros ser feliz também.

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      Geanfranco, vou ignorar as ofensas propaladas a quem pensa diferente de vc – e que mostram quem é o ignorante aqui – e responder mais uma vez esse ponto: gostar de algo não faz aquilo ser bom. Assim como não gostar, não faz ser ruim. O que diz se algo é bom ou não é justamente a parte técnica. Vc pode gostar, ou não, de algo bom ou de algo ruim. À sua vontade. São coisas totalmente diferentes e separadas. Qt ao exemplo que vc deu, vou ajeitar ele para que passe a ser um bom exemplo (já que comparar o sabor do bolo é como comparar o gênero do filme, e não sua qualidade): vc pode gostar do bolo feito em casa, pela sua mãe ou avó, e do bolo feito por um confeiteiro famoso, e também pode gostar daquele bolo vagabundo de mercadinho fuleiro, cuja textura lembra uma esponja e o gosto é de… nada. Gostar do bolo ruim do mercadinho da esquina não faz dele um bom bolo, só mostra que vc pode – e deve – gostar do que quiser. Com filmes tb é assim: vc pode amar Enigma do Horizonte, ainda assim ele nunca será – tecnicamente – um bom filme. Se vc não é capaz de entender a diferença entre esses dois conceitos, isso explica pq ao ler um artigo como esse vc ache que alguém está “sufocando quem admira o filme” ou “impondo sua tese”. O papel de quem analisa é esse: mostrar o aspecto técnico. Vc é livre pra gostar do filme mesmo ele sendo ruim, assim como é livre pra não gostar de um filme tecnicamente bom, assim como é livre pra gostar de um rock péssimo, tocado pelos amigos ruins de instrumentos ou incapazes de entoar notas adequadamente, do mesmo modo que é livre pra não gostar de um rock de uma banda renomada (novamente, acertando o exemplo dado, já que comparar gêneros musicais é diferente de comparar a qualidade das bandas).

    • José Marques:

      Até parece, Geanfalso, que qd vc come algo vc não avalia se está bom ou não… que não vê diferença entre a pizza feita no forno de casa e a pizza do forno a lenha da pizzaria hehehe… isso é hipocrisia. Vc, mesmo sem notar, avalia SIM os aspectos técnicos do bolo qd come ele, como o Ralph comentou (outra aulinha que ele deu)… vc pode gostar a vontade do bolo podreira da padariazinha ali do bairro, mas ele nunca será um bolo “bom”… aceita que dói menos.

    • Igor Soares:

      hahaha esses comentarios estao tao bons qt a critica… o cara tentou pagar de sabichao e tomou uma invertida digna de dó do Solera… o exemplo do rock e do bolo foi fodaaaaaa kkk

    • Paty Lorinha:

      que maneh esse GEANFRANCO kkkkkkkkkkkkk tomou uma que perdeu ate o rumo

  • Nicole Maia:

    é uma porcaria sim hahahaha quem diz o contrário é pq não dá o braço a torcer… mas eu admito: gosto dele e assisto qd dá vontade, mesmo sabendo que é toscão de tudo

  • Mari:

    a falta de critérios e a capacidade de achar bom qualquer coisa que é ruim, apenas por um visual maneiro me assombram… quanta gente acha esse filmeco bisonho “excelente”??? já vi idiotas dizendo que ele é “uma obra prima” ou “um dos melhores filmes de terror e ficção que já vi”… triste mundo em que as pessoas só conseguem ver a superfície das coisas, que se contentam com o pouco, com bobagenzinhas idiotas e medíocres, que acham “bom” qualquer besteira bem produzida… oh, mundo cruel rs… filmezinho ruim da p#%ra

  • Fabrício:

    Se alguém se impressiona com as bobagens mostradas nesse filme, se acha que só pq tem alguma inspiração em Lovecraft, se o elogia só pq mistura sci-fi com terror, se o fato de ter elementos de metafísica e física quantica é o bastante pra fazer desse lixo algo bom, meu caro, esse alguém é um zé roela em termos de cinamatografia… é mais um boçal consumidor de produto “burro” a la Michael Bay incapaz de dicernir a diferença entre ter uma idéia boa e realizar um filme bom. Sem mais.

  • Paulo Henrique Garcia:

    duro não é ver que um filme com esse mote podia ser muito bom… duro é ver que além dele ser muito ruim (muito mesmo) mesmo assim tem gente que diz que ele é excelente… é muita falta de noção mesmo

  • Mia Sara:

    Lixo de filme… e tem um bando de gente que gosta sim, pior, criticam quem acha ele ruim!!! kkkk que droga

  • Rodrigo Magalhães Wayne:

    O Boca do Inferno tb acha esse filme uma porcaria…

    confiram http://bocadoinferno.com.br/criticas/2016/01/o-enigma-do-horizonte-1997/

    Conforme o dito popular, de boas intenções o inferno está cheio. Algo que literalmente se aplica a O Enigma do Horizonte, dirigido por Paul -Milla Jovovich- Anderson, que só havia comandado antes desse filme a adaptação de Mortal Kombat (1995). Lembro que quando assisti ao filme pela primeira vez, achei a experiência frustrante devido aos elogios (de público) que qualificavam a obra como uma mistura que passava por Alien, Hellraiser e chegava até mesmo a 2001 e Solaris. Exageros à parte, a verdade é que a experiência de revê-lo foi ainda mais decepcionante, embora o longa tenha deixado um legado (vide Dead Space) que poderia ser potencialmente muito maior.

  • Natalia:

    Fui babando nesse filme pq um pessoal la do grupo CLFC no Face diz maravilhas dele… meu Deus, me pergunto, o que essa gente tem na cabeça??? Que decepção… sério mesmo que alguém acha isso ai bom? Esse roteiro idiota, que a gente sabe o que vai acontecer logo de cara? Só pq tem um gore legalzinho e um mote interessante, pessoal já acha isso bom??? Que merda! Que filme bosta! Cada vez mais me decepciono com o mau gosto das pessoas, com a falta de exigência delas para filmes de qualidade… lixo escabroso, terrivel, bosta completa…

  • Jean Pietro:

    Quem le a sinopse, pensa que é obra-prima… ai vai ver o filme, sai com a impressão de que não assistiu o mesmo filme que descreveram na sinopse… Idéia interessante, bons cenários. Mas em vez de ser uma ficção de Terror e Suspense, como Alien, virou um filmeco de sustos. Até começa razoavelmente, depois descamba e vira um lixo total… o final é broxante.

  • Fábio Alcantara:

    ACHO QUE NENHUM DE VOCÊS GOSTAM DE FILMES DE TERROR. GOSTEI MUITO DO FILME VEJO NOS FILMES CLÁSSICOS COISAS MUITO PIORES DO QUE VI NESTE FILME A QUAL A REFERENCIA DE UMA FORÇA MALIGNA QUE LÓGICAMENTE DOMINA A SITUAÇÃO A UM PONTO INSUSTENTÁVEL AO MELHOR ESTILO ILUMINADO….ONDE DE UM PAI AMOROSO TORNA-SE ASSASSINO E ETC. SE SÃO FÍSICOS OU NÃO OS PERSONAGENS QUE ASSISTE NÃO O É…..ACHO QUE VOCÊS NÃO GOSTAM DE FILMES DE TERROR. ISSO NÃO É PECADO….SUCESSO MESMO É UM VINGADOR DA VIDA A A MARAVILHA DO NOVO STAR WARS….

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      Amo filmes de terror, Fábio. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. 🙂 O que foi questionado é a qualidade técnica do filme, e não nossas preferência pessoais. Você pode gostar do filme, sem nenhum problema (eu gosto de vários filmes ruins), mas pode ter a ciência de que ele tem várias falhas. A idéia é boa sim – isso foi falado no artigo – mas a execução ficou bem fraca. E só para constar, amei o novo Star Wars sim 🙂 Mesmo ele tendo algumas falhas também… abraço!

    • Marcelo Fernando:

      quase só vejo filme de terror… e esse é um lixo… com ou sem força maligna, com ou sem pai de familia tornando-se assassino… e da próxima tira o capslock

  • Juliana Rodrigues:

    As pessoas confundem a qualidade do filme com o fato de gostarem dele. O filme é bem fraco e cheio de erros e problemas já citados no artigo, o que não impede que se goste dele. Eu mesmo até gosto, mas tenho a consciência de que ele não é bom. Acho isso normal… todo mundo pode gostar de trash… a questão é: eu nunca vou achar que, porque eu gosto, isso significa que o filme é bom! Não é… é bem ruim… mas eu até gosto dele, mesmo assim. Os caras do Facebook que tão p#tos com esse artigo é pq se doem de descobrir – ou verem exposto – que esse filme que eles tanto gostam é na verdade beeeem ruimzinho, e ficam lá choramingando cheios de mimimi

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      oi Juliana, infelizmente vivemos uma realidade em que se alguém critica – ou aponta defeitos – em algo que vc gosta, isso se torna um ataque pessoal (pelo menos na visão distorcida dessas pessoas). Abraço!

  • Silvinho Leite:

    Terrível… terrível… filmeco que só engana adolescentes (ou deveria)…

  • Fabio Mendes:

    Esse filme é muito ruim… mas por um design de produção bacanudo tem muita gente que já acha maravilhoso… incrível como o padrão geral das pessoas é baixo: basta uma ou outra cena gráfica, atores famosos e pronto, esquecem todos os problemas de roteiro e direção e consideram essas bagaceiras como se fossem grandes filmes!

  • Symon:

    filmezinho de mer#% esse… fiquei fulo qd assisti… perdi meu tempo… e tem gente que acha bom, fala serio, é muita falta de noção

    • Alex Augusto:

      Tem muita gente que acha ótimo e alguns chegam ao ponto de dizer que é uma das melhores ficção científica que ja assistiram rsrsrs dizem que o terror é bom (ridiculo), que cita Lovecraft (como se isso significasse filme bom), que dá medo (tem gente que assiste qualquer coisa e fica com medo)… enfim, tem mesmo muita gente que acha essa bomba um ótimo filme!

    • Ralph Luiz Solera
      Ralph Luiz Solera:

      Esse filme tem realmente uma pequena legião de fãs rs… nenhum problema, eu mesmo sou fã de alguns filmes ruins, a questão é ter consciência disso e admitir rs

leave a reply

Contate-nos

Contate-nos por email ou nos procure nas redes sociais

soleblog.brasil@gmail.com

  • Top 7 personagens icônicos de séries
  • Top 7 Filmes diferentes do convencional
  • Top 7 Maiores Compositores de Trilhas Sonoras do Cinema
  • Top 7 robôs mais importantes da ficção II
Back to Top